O município do Porto Novo afirmou-se, em 2018, como “centro de grandes eventos desportivos”, ao receber, duma assentada, a primeira final do campeonato nacional de futebol, a uma mão, e a sexta edição da Gala Nacional do Desporto.

Já por duas vezes (2013 e 2015), este município tinha recebido a finalíssima do campeonato nacional de futebol, disputado a duas mãos, ambas competições envolvendo a Académica do Porto Novo, mas, em 2018, foi escolhido pela Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) para receber a primeira final desta prova, no novo figurino.

Académica da Praia acabou por derrotar o Mindelense por 2-0, conquistando o troféu.

A Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) premiou os melhores da temporada, tendo Lito, técnico da Académica da Praia, recebido o troféu de melhor treinador e Ró, jogador da equipa campeã nacional, destacado como o melhor jogador.

Cachito, guardião da Académica da Praia, foi o melhor guarda-redes, e Xolote, avançado da Académica do Porto Novo, recebeu o troféu de melhor marcador da prova, com sete golos.

A Académica do Porto Novo recebeu o troféu fair play.

Em Novembro, Porto Novo voltou a estar no centro das atenções, ao receber outro grande evento desportivo, desta feita, a sexta edição da Gala Nacional do Desporto, que contou com a presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e do ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire.

O edil portonovense, Anibal Fonseca, realçou, na ocasião, que “uma vez mais, Porto Novo provou que tem condições para realizar grandes eventos”, considerando que, neste caso, “Cabo Verde saiu a ganhar”, com o nível da organização da gala, que assinalou ainda o dia do desporto cabo-verdiano (11 de Novembro).

O evento destacou o basquetebolista cabo-verdiano Edy Tavares com o prémio de “alto prestígio” e a selecção de atletismo da CPLP como “personalidade do ano”.

A Gala Nacional do Desporto destacou ainda a Rádio de Cabo Verde como órgão de comunicação social do ano, Benvindo Neves como jornalista desportivo do ano e o Comité Olímpico de Cabo Verde como instituição parceira.

Fabrício Duarte (futebol) foi premiado como árbitro do ano, Ivan Almeida (basquetebol) como atleta masculino da diáspora, Maria Andrade (taekondo) como atleta feminina da diáspora, Fidel Mendonça (basquetebol) como atleta masculino residente e Maria Correia (andebol/voleibol) como atleta feminina residente.

Os prémios de dirigente do ano, treinador do ano e equipa do ano foram, respectivamente, para Ambrósio Furtado (escola de iniciação desportiva Esperança), Lito Aguiar e Académica da Praia, campeã nacional de futebol.

Gelson Rola (boxe) recebeu o prémio de atleta fair-play e Carlos Zandonai (atletismo) foi destacado como jovem promessa.

O prémio carreira foi atribuído a Carlos Alfama, Rute Ferreira e a Manuel Tavares.

A gala, que decorreu sob o lema “Promover o desporto, engrandecer Cabo Verde”, foi também uma oportunidade para a homenagem dos atletas santantonenses Luís Santos (ciclismo), Eliseu Fortes (atletismo) e Eder Alves (futebol).

Para o Governo, a Gala Nacional do Desporto foi uma demonstração de que o desporto é “um activo económico” que está a contribuir para o desenvolvimento de Cabo Verde.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.