Os capitães da maioria das equipas do Campeonato de Portugal de futebol pediram mais proteção para os jogadores do terceiro escalão, interrompido pela pandemia da covid-19.

Numa mensagem assinada por 69 capitães de equipas do Campeonato de Portugal e endereçada ao presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, é lembrado que o impacto económico da covid-19 "tem uma dimensão dramática no Campeonato de Portugal, campeonato esse onde os clubes lutam para sobreviver com poucas ou nenhumas receitas e os jogadores amadores estão desprotegidos".

"Estamos preocupados. O campeonato terminou, os clubes pararam e ficaram a faltar dois subsídios aos jogadores. Fica ainda por ter resposta a pergunta de quando iremos voltar a competir. São muitos meses sem nenhuma fonte de rendimento para a maioria, daí que entendemos que a ajuda nesta situação deveria ser diferente e deveria ser clara e efetiva", lê-se.

Os signatários mostram-se "de acordo com as medidas" tomadas pela FPF após o cancelamento da prova, com a criação de um fundo de apoio aos clubes, entre outras, mas pedem para "que existam regras e que seja para os clubes as cumprirem, que não sejam permitidos projetos poucos responsáveis, que não seja permitido profissionalismo encapotado, que haja uma proteção nos contratos amadores para não desproteger estes atletas".

Os capitães questionam a FPF porque é que ainda não houve uma prometida reunião com os 72 clubes da prova e porque é que o valor do prémio dos jogadores da seleção portuguesa de apuramento para o Euro2020, doado para os jogadores amadores, foi colocado na linha de crédito aos clubes e não doada aos futebolistas.

Assim, os signatários sugerem algumas medidas para proteger os atletas do Campeonato de Portugal, como "definir uma categoria para o jogador do Campeonato de Portugal, em que o vínculo atleta-clube seja reconhecido, exigir, mediante o orçamento, garantias reais dos investidores que entram nos clubes, para que o atleta não seja ludibriado e enganado".

"Aplicar um limite de inscrições por equipa; aplicar punições a quem não cumpre com os subsídios aos seus atletas (perda de pontos, proibição de inscrições...); permitir que um atleta amador que tenha subsídios em atraso possa desvincular-se do clube sem ter que esse mesmo clube passar uma carta", são outras das medidas propostas.

Os capitães querem, com estas propostas, "abrir uma janela de diálogo para que, de uma vez por todas, os moldes deste campeonato sejam revistos", pedindo que "se junte a opinião dos jogadores nas reuniões com a FPF, os clubes, e as Associações".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.