A equipa feminina do Atlético Clube Ouriense não vai disputar a pré-eliminatória da Liga dos Campeões feminina «só para desfrutar da experiência», garantiu à agência Lusa o treinador Mauro Moderno.

A conquista do título de campeão nacional garantiu ao Atlético Ouriense a possibilidade de se estrear na “Champions” feminina, cujo primeiro encontro está marcado para quinta-feira, frente ao Zurique, da Suíça, em jogo do Grupo 4, que engloba ainda o Ekonomist, de Montenegro, e o Klaksvík, das Ilhas Faroé, única equipa que esteve presente nas 13 edições da prova já realizadas.

«Vamos estrear-nos nessa competição. É um contexto novo, temos as nossas expetativas. Não vamos entrar só para desfrutar da experiência, mas para tentar obter um resultado favorável, que nos permita passar a eliminatória», salientou Mauro Moderno.

O treinador do clube de Ourém tem consciência das dificuldades que vai enfrentar, mas acrescentou que tem a «ambição de fazer o melhor possível», sabendo que apenas os vencedores dos oitos grupos e os dois melhores segundos classificados se juntam às equipas mais cotadas nos 16 avos de final.

O primeiro embate será, teoricamente, o mais difícil de todos. As meninas têm pela frente as 'profissionais' do Zurique, uma equipa desconhecida em terras lusitanas, mas que aposta forte na qualidade.

«Sabemos que contratam jogadoras estrangeiras. Nós estamos num contexto amador. As jogadoras saem do trabalho e vão treinar à noite», sublinha Mauro Moderno.

O desconhecimento dos adversários é uma desvantagem, mas a equipa técnica concentrou-se em trabalhar os aspetos positivos do seu grupo. «Não existe muita visibilidade no futebol feminino e tem sido difícil encontrar informação sobre as equipas adversárias. Mas vamos trabalhar com humildade e enfrentar o desafio».

Também o presidente do Atlético Ouriense reconhece que a Liga dos Campeões é uma nova exigência para o clube. «O que conseguirmos de positivo é bem-vindo. Não vamos colocar nenhuma fasquia, porque nem conhecemos o valor das outras equipas», informou João Sousa.

Para o dirigente não será a experiência das adversárias que fará a diferença, porque as suas atletas habituais titulares «são internacionais pela seleção» portuguesa.

«Não podemos falar só do número de jogos realizados, mas também da capacidade para enfrentar novos desafios e essa capacidade elas têm», sublinhou ainda João Sousa, admitindo, no entanto, que a «probabilidade de ganhar é muito pequena».

A final da prova realiza-se este ano no Estádio do Restelo, em Lisboa, um horizonte que não passa de uma miragem para o clube de Ourém. «Bonito seria, mas se passarmos essa fase já é um sonho. Ir à final é uma utopia», constata o presidente.

O Atlético Ouriense iniciou a sua preparação mais cedo este ano. A pré-época já leva quatro semanas de trabalho intenso. «Foi difícil realizar jogos-treino por falta de equipas para treinar, uma vez que poucas já estão a trabalhar», lamentou Mauro Moderno.

A primeira jornada da pré-eliminatória da Liga dos Campeões feminina realiza-se no dia 08 de agosto, pelas 17h00. O Zurique defronta o Atlético Clube Ouriense, no Estádio Municipal de Fátima, e o Klaksvík tem pela frente o Ekonomist, no Estádio Municipal de Torres Novas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.