A futebolista brasileira Marta lamentou hoje que o Tyresö tenha entrado a “dormir” na segunda parte e confirmou o adeus ao clube sueco, depois do desaire 4-3 face ao Wolfsburgo, na final da Liga dos Campeões feminina.
“Fizemos uma primeira parte excelente. Defendemos ‘super’ bem e marcámos dois golos, mas o segundo tempo foi diferente. Entrámos um pouco a dormir e não podemos dormir num jogo como este”, afirmou a jogadora brasileira.
Marta foi a grande figura do conjunto nórdico, ao marcar dois golos, que foram insuficientes para evitar que o Wolfsburgo revalidasse o título, no Estádio do Restelo, em Lisboa.
“Na segunda parte, perdemos conexão e sofremos dois golos. Ainda virámos para 3-2, mas depois houve aquela jogada duvidosa, em que elas não devolveram a bola. Fizeram o 3-3, depois o 4-3 e ficou mais complicado reverter”, lamentou.
A futebolista “canarinha”, cinco vezes eleita a melhor do Mundo, estava inconformada com a segunda metade: “Não podemos dormir num jogo como este, numa final da Liga dos Campeões”.
“Tínhamos condições para manter a vantagem, mas não conseguimos, não soubemos ter o controlo do jogo”, frisou.
Apesar do desaire na final, o balanço é positivo: “Independentemente do resultado, a equipa está de parabéns. Tivemos um grupo fantástico, que ultrapassou problemas complicados, nomeadamente no clube”.
O futuro não passa pelo Tyresö: “Eu não vou ficar no clube. O meu futuro está indefinido. Vou pensar, vou para o Brasil e, depois, com calma, resolver”.
“Enquanto sentir que posso jogar a alto nível, quero estar num clube que tenha estrutura para isso”, frisou Marta, que hoje falhou o segundo título europeu, na quarta final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.