Em declarações à Agência Lusa, o presidente do Lusitano de Évora, Manuel Porta, adiantou que a decisão de suspender o futebol sénior deve-se à “grave crise financeira” e ao facto do clube estar impedido de inscrever a equipa em provas oficiais, devido a dívidas a antigos jogadores.

«O Lusitano tem dívidas superiores a 800 mil euros e não há receitas que suportem os encargos do futebol sénior e da formação e que nos permitam pagar algumas dívidas», justificou o dirigente, garantindo, contudo, que o futebol de formação «vai continuar».

A equipa sénior do Lusitano de Évora, que deveria competir na Divisão de Honra da Associação de Futebol de Évora (AFE), «está suspensa, mas não terminou definitivamente», assegurou, explicando que, quando houver condições financeiras, o clube «volta a ter futebol sénior».

O presidente do histórico clube alentejano considerou que os problemas financeiros do Lusitano de Évora surgiram na sequência da construção do novo complexo desportivo da Silveirinha, onde a seleção portuguesa de futebol estagiou antes de participar no Mundial da Alemanha, em 2006.

«É inquestionável que todo este problema de natureza financeira tem a ver com o ruinoso e devastador negócio imobiliário em que as anteriores direções colocaram o Lusitano, porque, hoje em dia, o clube não tem património e não tem dinheiro, sobram-lhe as imensas dívidas», lamentou.

Manuel Porta afirmou ainda que o futuro do Lusitano de Évora «é uma incógnita», mas disse estar a trabalhar para tornar o clube viável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.