Manuel Maio, antigo vice-presidente do Boavista e atual autarca, apresentou hoje, no Estádio do Bessa, a sua candidatura à presidência do clube e disse à agência Lusa que «a SAD nunca terminará, a não ser que os acionistas o queiram».

O candidato, que se apresenta com o lema «União, Credibilidade e Mística», afirmou também que o «Boavista nunca morrerá, porque as instituições nunca morrem».

«Acredito que é possível relançá-lo», completou Manuel Maio, presidente da Junta de Freguesia de Ramalde e deputado na Assembleia Municipal do Porto, eleito pelo CDS-PP.

O Boavista vai ter eleições antecipadas devido à demissão do seu presidente, Álvaro Braga Júnior, e de todos os diretores eleitos, apresentada dia 11.

O ato eleitoral deveria ser em agosto, mas Álvaro Braga entende que «esperar por essa data seria lesar os interesses da instituição», pelo que enviou a carta de demissão, que desencadeia o processo eleitoral nos "axadrezados".

O presidente demissionário refere como motivos para que não se espere por agosto «as habituais dificuldades financeiras e a preparação da próxima época».

Manuel Maio tenciona divulgar na sexta-feira, dia 25, «os eixos fundamentais» da sua candidatura, «quer para o clube quer para a SAD».

Apesar de considerar que «o Boavista está, neste momento em coma induzido», o candidato afirma que «tudo tem salvação».

«O Boavista tem solução, isso garanto a cem por cento», reforçou.

Foi perante «um auditório repleto de associados, antigos e atuais dirigentes, antigos atletas e personalidades académicas e da cultura portuense» que Manuel Maio apresentou a sua candidatura.

O antigo presidente boavisteiro João Loureiro e os ex-futebolistas Petit, Cafu e Tavares estiveram presentes.

«Serei o líder de uma família que se chama Boavista, porque isto é um projeto coletivo, e quero tirar partido da minha imagem», acrescentou.

Manuel maio foi vice-presidente de Valentim Loureiro, em dois mandatos, e de João Loureiro em três e agora disse que foi «abordado» não só por boavisteiros, mas também por «personalidades fora do Boavista», porque o clube podia ter um fim igual ao de outras coletividades portuenses.

«Não podia furtar-me a ajudar o meu clube», resumiu o presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Luís Teixeira de Melo, anunciou que o prazo para apresentação de listas para a Direção, Conselho Fiscal e Mesa da AG decorre até às 17:00 do dia 25 deste mês.

A equipa de futebol do Boavista disputou o campeonato da II divisão, Zona Centro, em que terminou em quarto lugar, ficando assim longe do objetivo do acesso à Liga de Honra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.