Penafiel e Sporting da Covilhã empataram este domingo a 1-1, marcando passo na luta pela manutenção, num jogo da 25.ª jornada da Liga de Honra de futebol marcado pela excelente exibição dos guarda-redes.

Com apenas cinco jornadas para o final do campeonato, o jogo do Municipal 25 de Abril era fundamental para as aspirações de manutenção de ambas as equipas, adversárias directas no fundo da tabela.

Encostados à linha da descida e desesperadamente à procura de pontos, Penafiel e Sporting da Covilhã entraram bem no jogo, com os homens de Francisco Chaló a serem superiores, comprovando que em casa a vantagem é sua.

Cascavel e Michel iam sendo os mais perigosos na ofensiva imparável dos penafidelenses, que não deixavam os "verde e brancos" passarem além do meio campo e que estiverem perto do golo por intermédio de Kanu, que descobriu um espaço entre a defesa adversária, mas rematou ao lado do poste.

No entanto, haveria de ser o Sporting da Covilhã a estar mais perto de se adiantar no marcador, quando, ao minuto 20, Dani, na marcação de um livre, obrigou Márcio Ramos a uma grande defesa.

A oportunidade despertou os visitantes, com o jogo a ganhar ritmo e as ocasiões a surgirem de parte a parte, primeiro por Michel, que, com um remate cruzado, obrigou Serginho a esticar-se para a defesa da tarde, depois por Amessan, que perdeu no frente a frente com o guarda-redes do Penafiel, sendo desarmado com os pés, quando seguia isolado à entrada da área.

Com os dois defensores das redes a parecerem intransponíveis, só uma grande penalidade permitiu desfazer o empate a zero: Abdoulaye derrubou Wesllem na área e João Capela não teve dúvidas em assinalar a grande penalidade, que Michel converteu.

Na segunda parte, tal como na primeira, o Penafiel entrou melhor e Michel esteve bem perto de repetir a dose, mas um atento Ivo Pinto desviou com o calcanhar, mesmo em cima da linha de golo, a bola que parecia condenada a entrar na baliza.

O empate esteve iminente, ao passar do minuto 65, mas o cabeceamento de Rincon raspou o poste esquerdo da baliza de Márcio Ramos.

A pressionar forte, o golo do Sporting da Covilhã era uma inevitabilidade e Amessan, depois de uma primeira ameaça, aproveitou uma bola perdida no meio da confusão de um canto para empatar a partida.

O 1-1 no marcador não servia a nenhuma das equipas e ambas partiram à procura do segundo golo, com Diogo Rosada, na cobrança de um livre, a obrigar Serginho a nova grande defesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.