O Rennes conquistou hoje a Taça de França de futebol, pela terceira vez na sua história, ao fim de um jejum de 48 anos, ao vencer o Paris Saint-Germain, no desempate por grandes penalidades (6-5), após empate 2-2.

O virtual campeão Paris Saint-Germain esteve a vencer por 2-0, com golos brasileiros de Dani Alves e Neymar, mas permitiu o empate com um autogolo de Kimpembe e um golo do moçambicano Mexer, que já representou o Sporting, Olhanense e Nacional.

Dani Alves, com um pontapé de primeira na sequência de um canto cobrado pelo compatriota Neymar, deu a vantagem ao Paris Saint-Germain aos 13 minutos, colocando o já campeão francês e vencedor da Supertaça na rota de nova conquista.

Na sequência de um contra-ataque letal construído por Dani Alves, Mbappé e o argentino Di Maria, autor do último passe, o brasileiro Neymar aumentou para 2-0, aos 22 minutos, com um chapéu curto ao guarda-redes checo Tomas Koubek.

No Estádio de França, em Saint-Denis, os astros estavam a alinhar-se para que o Paris Saint-Germain conquistasse a sua quinta Taça de França consecutiva, e aumentasse para 13 troféus, mas o Rennes assim o não permitiu.

O senegalês Niang, aos 38 minutos, rematou ao poste da baliza do Paris Saint-Germain, fazendo adivinhar o golo do Rennes, que surgiu num lance infeliz de Kimpembe, aos 40 minutos, que na tentativa de aliviar desviou para a própria baliza.

Na segunda parte, o Rennes chegou ao empate a 2-2 pelo moçambicano Mexer, com um desvio de cabeça na pequena área, na sequência de um pontapé de canto, que teve o condão de baralhar as contas e empurrar o encontro para o inesperado prolongamento.

Na meia hora suplementar, Neymar esteve perto de marcar aos 92 minutos, num lance resolvido pelo guarda-redes Tomas Koubek, e Mbappé, que viria a ser expulso aos 118, após uma entrada maldosa, fez a bola embater no poste da baliza do Rennes, aos 99.

A decisão da Taça de França arrastou-se para a marcação de grandes penalidades, o que já não acontecia desde 2007, e nesse capítulo a eficácia do Rennes, que converteu todos os pontapés, foi irrepreensível.

Depois de cinco penáltis convertidos, o Paris Saint-Germain falhou o sexto, por Christopher Nkunku, que tinha entrada no último minuto do prolongamento, com um remate por cima da baliza, que deu o triunfo na Taça de França ao Rennes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.