A eliminação do Hamburgo na primeira eliminatória da Taça da Alemanha, derrotado por 4-1 pelo Dínamo Dresden, ficou marcada por uma caricata cena de violência após o final do encontro. O protagonista foi o defesa Toni Leistner, do Hamburgo, que subiu às bancadas para agredir um adepto do conjunto adversário.

Leistner estava na zona de 'flash interview' a prestar declarações, a poucos metros da bancada. Ouviu um insulto, não gostou e subitamente subiu para as bancadas, agarrou no adepto que o insultou pela gola da camisa e empurrou-o para o chão. A intervenção de outros adeptos e de elementos da segurança do recinto foi pronta e Leistner acabou, depois, por regressar ao relvado.

Leistner, de 30 anos, é natural de Dresden e jáchegou mesmo a vestir a camisola do Dínamo, entre 2010 a 2014. Na última época representou o Queens Park Rangers, da segunda divisão inglesa, e este foi o seu primeiro jogo oficial com a camisola do Hamburgo.

Na sua conta oficial no Twitter, o Dínamo Dresden procurou desvalorizar o incidente envolvendo seu ex-jogador, ainda que sem deixar de o repreender. "Especialmente nos momentos de sucesso, devemos mostrar humildade e gratidão. Todos nós amamos o futebol, porque ele pode liberar grandes emoções. E sim, as pessoas cometem erros. Toni Leistner é um menino de Dresden que tem o coração no lugar certo. Vamos, Toni!", pode ler-se na publicação do clube.

O incidente surge numa altura em que a Alemanha se encontra a testar o regresso do público aos estádios de futebol. No encontro estavam cerca de 10 mil espectadores nas bancadas, tendo o Estádio de Dresden cerca de 30 mil lugares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.