Portugal empatou esta noite em Zenica a zero frente à Bósnia na primeira mão do playoff de acesso ao Euro2012.

O jogo teve duas fases distintas: a que Portugal dominou e onde criou as melhores ocasiões de golo, e aquela em que Portugal teve de saber sofrer e quando os bósnios se acercaram com maior perigo da baliza de Rui Patrício.  

Quer numa quer noutra saltou à vista a exibição de Pepe, que durante os 90 minutos não perdeu um único lance com os avançados da Bósnia. Sempre mais rápido que os adversários, fez também uso da sua presença física para se impor. Obrigou Dzeko a sair da sua posição para procurar jogo.

Na primeira parte o meio-campo português esteve muito bem na recuperação de bolas, com destaque para Raul Meireles e o pautar de jogo por Miguel Veloso. Com o passar dos minutos e o aumentar da pressão Bósnia, perderam fulgor estas unidades e foi também nessa fase que Portugal viveu os maiores sobressaltos.

Na frente, Cristiano Ronaldo foi sempre a unidade mais perigosa. Sem medo de ter a bola nos pés, o jogador português não fez um jogo de encher o olho, mas não se encolheu perante os bósnios e respondeu às provocações que chegavam da bancada. Não fosse a relva e na melhor ocasião de Portugal no jogo certamente não teria rematado para as nuvens.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.