Portugal manifestou-se hoje em Bruxelas contra um boicote aos jogos do Europeu de futebol na Ucrânia, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, segundo o qual as diferenças políticas com Kiev devem ser tratadas «noutra sede».

«Para nós, portugueses, há uma coisa que é evidente: o Euro2012 é um evento nacional, tanto para os ucranianos do regime como para os ucranianos da oposição, é um evento internacional, em que está envolvido a Polónia, que é um membro da União Europeia, e é um evento sobretudo desportivo, que não deve, a nosso ver, ser contaminado pela política», afirmou.

Paulo Portas falava à saída de uma reunião dos chefes de diplomacia da UE, na qual foi discutida a questão de um eventual boicote político europeu aos jogos na Ucrânia, em protesto contra a situação da ex-primeira-ministra ucranicana Iulia Timochenko, condenada a sete anos de cadeia e alegadamente alvo de maus tratos na prisão.

O ministro indicou que não foi tomada qualquer decisão na reunião, mas adiantou que a posição de Portugal, de que «a política não deve envolver-se» no desporto, foi também defendida por outros Estados-membros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.