Portugal é para já a única seleção que tem um lugar garantido nas meias-finais, depois de ontem ter eliminado a Polónia nas grandes penalidades. Agora, a equipa orientada por Fernando Santos terá de esperar até às 22 horas desta sexta-feira, ou mais tarde caso haja prolongamento e pénaltis, para saber se joga contra a Bélgica ou País de Gales.

Fase de apuramento

Curiosamente, as duas seleções estiveram no mesmo grupo de apuramento para o Euro2016. A Bélgica foi primeira classificada com 23 pontos, com sete vitórias, dois empates e uma derrota, com um total de 24 golos marcados e cinco sofridos. O País de Gales apurou-se em segundo lugar com 21 pontos. Os galeses somaram seis vitórias, três empates e um derrota. Foram menos avassaladores no ataque, com 11 golos apontados, e sofreram quatro.

A única derrota da Bélgica nessa fase de apuramento foi contra o País de Gales, em junho de 2015, com um golo de Bale. No jogo anterior entre as duas seleções, na Bélgica, o jogo acabou empatado a zero.

Já no Euro2016

A Bélgica ficou no Grupo E, ao lado da Itália, República da Irlanda e Suécia. Os belgas começaram a perder (2-0) com a Itália, que viria a ser a primeira classificada, mas depois endireitaram-se e venceram os dois jogos seguintes, diante da República da Irlanda (3-0) e Suécia (1-0), terminado em segundo lugar. Nos oitavos de final, o adversário foi a Hungria (primeira classificada do grupo de Portugal) e os húngaros foram presa fácil, tendo sido goleados por 4-0.

Não são muitas as selecções que contam com um registo de 100 por cento de presenças em quartos-de-final quando disputam grandes torneios. Mas o País de Gales pode orgulhar-se disso. A equipa de Gareth Bale ficou em primeiro lugar do Grupo B, tendo começado por vencer (2-1) a Eslováquia, escorregado perante a Inglaterra com uma derrota (2-1), mas terminando a fase de grupos em beleza com um triunfo diante da Rússia por 3-0. A Irlanda do Norte foi a seleção que o País de Gales eliminou (1-0) nos oitavos de final.

Jogadores em destaque

Bélgica: Hazard tem sido o motor da bem oleada máquina atacante da Bélgica, e a boa notícia é que o avançado está em crescendo de forma na fase final. O jogo com a Hungria foi o seu melhor até ao momento.

País de Gales: Gareth Bale soma três golos, uma assistência e foi ainda eleito Melhor em Campo uma vez. É a figura e o talismã da equipa, assumindo a liderança do ataque dos galeses à baliza adversária.

Pontos fortes

Bélgica: O ataque. Além das estrelas Hazard e De Bruyne, Wilmots também conta com jogadores como Romelu Lukaku, Batshuayi, Yannick Carrasco e Dries Mertens. Quando estão inspirados, são difíceis de travar.

País de Gales: Espírito de equipa e crença, combinados com o talento de um dos melhores jogadores do Mundo. "Juntos, mais fortes". Mais do que o lema é esse o "modus operandi" deste grupo de irmãos.

Pontos fracos

País de Gales: A equipa galesa não esteve bem em termos de posse de bola na fase inicial dos jogos com Inglaterra e Irlanda do Norte. Terá de ter maior consistência para continuar a fazer história na prova.

Bélgica: Sem os lesionados Kompany e Nicolas Lombaerts, a defesa tem dado algumas dores de cabeça a Wilmots e deixado os adeptos belgas nervosos. Contudo tem melhorado, mas a suspensão de Thomas Vermaelen é uma ausência de vulto para o encontro com o País de Gales.

*Informação recolhida através do site oficial UEFA Euro2016

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.