Joachin Low fez esta tarde a antevisão ao encontro de amanhã frente a Portugal, realçando a necessidade da Alemanha se mostrar melhor no ataque, algo que falhou no jogo frente à França.

"O que sinto na equipa é uma grande vontade, todos querem melhorar e todos sabem que temos de melhorar. (...) Contra a França defendemos muito bem, mas não é um segredo que treinamos a finalização, trabalhamos os dois dias na finalização, precisamos de marcar mais golos", disse, em conferência de imprensa.

O selecionador alemão admitiu alterações táticas para dar mais poder de ataque à equipa.

"Em termos táticos temos de mudar algo, temos de introduzir mais poder atacante. (...) Temos de ser mais dinâmicos para a frente. Temos de introduzir alterações táticas, claramente. Em termos defensivos estivemos bem, aí não temos de mudar muito. No ataque, em termos táticos, temos de ser mais atacantes, trazer mais intensidade", disse.

Low quer um "sistema fluído, flexível, mas que seja sólido" frente a Portugal, uma equipa a quem deixou rasgados elogios, realçando que o campeão europeu não é só Ronaldo.

"Portugal não é só Ronaldo, não é um 'one-man show'. Tem quatro ou cinco jogadores de ataque de classe mundial. Se calhar, de forma geral, em termos atacantes estão mais equilibrados que a França. Não podemos descurar a defesa e temos de ter uma equipa equilibrada", afirmou.

O técnico alemão realçou depois a estrutura à volta da Seleção Nacional e a qualidade dos jogadores portugueses.

"Portugal nos últimos quatro ou cinco anos manteve a estrutura, é uma equipa muito equilibrada, tem jogadores tecnicamente muito bons, é uma equipa equilibrada no 'um para um', no jogo aéreo, fazem tudo muito bem. No ataque posso enumerar vários jogadores, não só Ronaldo, têm quatro ou cinco jogadores extraordinários, extremamente talentosos", considerou, antes de voltar a fazer uma comparação com a seleção francesa.

"São jogadores muito bons, a França joga de forma linear, Portugal joga mais em combinações, com bola no pé. Isso faz com que Portugal seja muito perigoso e tecnicamente são todos muito bons. Portugal gosta de ter a bola e muito jogadores são capazes de reter a bola", concluiu.

Já o médio Joshua Kimmich assegurou que “todos os jogadores sabem o que estará em jogo” na partida de sábado e que a Alemanha quer vencer Portugal.

“Queremos ganhar. Estes jogos, em competições como um Europeu, são aqueles que mais queremos disputar. Temos de mostrar o que somos capazes de fazer e encarar o jogo com a ambição de ganhar, porque temos qualidade para isso”, afirmou o médio do Bayern.

Kimmich assegurou que os germânicos estão “mais concentrados nas próprias qualidades do que nos pontos fracos de Portugal” e confessou que prefere jogar no meio-campo, como ‘6’, do que na ala direita, onde atuou no início da carreira.

“No lado direito, sinto que o jogo passa ao meu lado. No meio-campo, estou mais envolvido no jogo, é mais fácil para comunicar com os meus colegas, consigo dar indicações. Na direita, tenho de ser paciente e esperar que a bola me chegue”, concluiu.

Portugal e Alemanha jogam no sábado, a partir das 17:00 (hora de Lisboa), no estádio Allianz Arena, em Munique, em jogo da segunda jornada do Grupo F do Euro2020, que será dirigido pelo inglês Anthony Taylor.

Na primeira ronda, a seleção nacional venceu por 3-0 a Hungria, em Budapeste, com um golo de Raphaël Guerreiro e dois de Cristiano Ronaldo, e soma três pontos no Grupo F, os mesmos da França, que venceu os alemães por 1-0, em Munique, graças a um autogolo de Mats Hummels.

O Euro2020, que foi adiado para este ano devido à pandemia de covid-19, decorre até 11 de julho, em 11 cidades de 11 países diferentes.

*Artigo atualizado às 20h31

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.