Declarações de Dany Mota, autor do primeiro golo das Quinas, após o jogo Portugal-Inglaterra (2-0), da segunda jornada do Grupo D do Campeonato da Europa de futebol de sub-21, disputado hoje no Estádio Stozice, em Ljubljana, na Eslovénia.

“O segredo é o trabalho. Penso que entrámos bem no jogo e criámos algumas ocasiões. Era um jogo complicado contra um adversário poderoso, mas o mais importante foi entrar mais forte ainda na segunda parte.

Entrámos melhor do que na primeira, tivemos mais posse e mais ocasiões. Veio o golo logo a seguir e estou muito feliz por isso, mas o mais importante eram os três pontos.

Todos sabemos que os ingleses têm aquele contacto mais forte, mas o mais importante era ter bola e circulá-la bem. A chave foi ter mais posse e foi uma vitória merecida.

Naquele momento só podia mesmo rematar. Houve um grande passe do Pote e, felizmente, entrou. Fizemos o nosso trabalho. Agora, é trabalhar para o próximo jogo.

O mais importante é a defesa e só depois vem o ataque. Se não sofrermos golos, estamos mais confiantes. Foi o que fizemos contra a Croácia. Não sofremos golos mais uma vez hoje e isso é importante para estarmos mais descansados. Sabemos que lá atrás fazem bem o trabalho deles e na frente também temos respondido bem.

Acho que o mais importante é ajudar a equipa. Como aconteceu contra a Croácia, estamos cá para ajudar a seleção. Cada um tem as suas qualidades. Hoje repeti e com trabalho as coisas vem naturalmente. Estou muito feliz pelo golo e pelos três pontos.

Todos fazem o seu trabalho para dar contributo à equipa. Individualmente, não vamos a lado nenhum. O mais importante é a equipa. Consegui fazer um passe para golo no jogo anterior e hoje marquei. É dar continuidade a este trabalho, que tem estado a ser muito bem feito. O grupo é muito forte e unido e a nossa força geral é essa.

Vamos com tudo para o último encontro, tal como fizemos hoje e contra a Croácia. Entrámos para os três pontos, porque a nossa mentalidade é jogo a jogo. É nisso que estamos focados, sendo que o próximo jogo também vai ser complicado.

A Suíça vai entrar muito forte porque vai querer passar. Está tudo em aberto. Não podemos facilitar e também vamos entrar com tudo. Com trabalho e aquilo que temos vindo a fazer defensiva e ofensivamente poderemos conquistar os três pontos.

É uma luta positiva [nas opções para a frente de ataque], já que estamos aqui todos para ajudar. Seja quem quer que jogue, o mais importante é o grupo e a vitória. Cada um faz o seu trabalho. Temos um grande grupo e isso é a nossa chave”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.