A seleção sub-21 portuguesa venceu este sábado a Alemanha por 5-0, e garantiu um lugar na final do Europeu da categoria que decorre na República Checa.

Bernardo Silva (25’), Ricardo Pereira (33’), Ivan Cavaleiro (45+1), João Mário (46’) e Ricardo Horta (71’) deram expressão ao resultado.

A Alemanha lançou este jogo cotando-se como favorita, as casas de apostas concordavam, e Portugal respondeu com um discurso humilde através do selecionador Rui Jorge. Agora esqueçam os “mind games” porque estes não tiveram qualquer influência numa equipa lusa que sabe o que quer, o que faz e para onde vai.

O primeiro aviso surgiu por Sérgio Oliveira aos 15 minutos com um remate ao poste da baliza de Ter Stegen.

Portugal jogava como queria, atacava, atacava e foi com naturalidade que chegou ao golo através do jogador português que mais tem estado em evidência nesta competição. Ivan Cavaleiro serviu Bernardo Silva que rematou para o 1-0, sem hipóteses para o guarda-redes do Barcelona.

Estava aberto o caminho para a goleada que ninguém imaginava, num jogo em que muitos apelidavam de final antecipada. Aos 33 minutos foi a vez de Ricardo Pereira que surgiu na pequena área sem marcação, após um canto, e fez o 2-0.

Aí surgiu um pouco da Alemanha a correr atrás do resultado. Kimmich (38’) rematou para uma boa defesa de José Sá e, na recarga, Schulz atirou por cima.

Depois foi Younes que tentou concretizar à entrada da área, mas mais uma vez o guardião do Marítimo mostrou que as suas exibições nesta competição não têm sido obra do acaso.

Perante este atrevimento, a seleção de Rui Jorge correspondeu com mais um golo, e o melhor desta primeira parte. João Mário segura a bola no lado direito, espera a entrada de Ivan Cavaleiro e este remate de primeira para o 3-0 com que se chegava ao final da primeira parte.

Com este resultado contra esta Alemanha não se pode pensar que tudo está decidido, e deve ter sido essa a mensagem que Rui Jorge passou aos seus pupilos pois estes entraram com a mesma disposição para a etapa complementar.

João Mário tinha servido um colega no final da primeira parte e abria a segunda com um golo da sua autoria. O médio acabou por beneficiar do facto de a bola ter desviado num adversário enganando Ter Stegen. Estava feito o 4-0.

Por esta altura, já Ivan Cavaleiro tinha saído para a entrada da Ricardo Horta. E pouco depois era a vez do maestro Bernardo Silva sair para entrar Rafa.

O jogo decorreu paulatinamente controlado pela seleção lusa perante uma Alemanha que parecia uma sombra de si mesma. Aos 71 minutos ainda houve tempo para mais um golo, desta feita pelo recém-entrado Ricardo Horta, que correspondeu da melhor forma a um cruzamento de João Cancelo, outro suplente utilizado.

Os alemães baixaram os braços e Bittencourt deu forma à frustração numa entrada que lhe valeu o segundo amarelo e a consequente expulsão.

Com uma mão cheia de golos, a seleção sub-21 garantiu um lugar na final e irá agora enfrentar a Suécia que derrotou a Dinamarca na outra meia-final por 4-1.

A final de Praga está agendada para esta terça-feira, a partir das 19h45 e terá transmissão televisiva na RTP1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.