A seleção portuguesa de sub-21 está nos quartos de final do europeu da categoria. Os jovens lusos venceram a Suíça por 3-0, na terceira e última jornada do Grupo D da fase final da prova, disputado no Estádio Stozice, em Ljubljana. Portugal acaba esta ronda com três vitórias em três jogos, seis golos marcados e zero sofridos. Nos quartos de final os sub-21 de Portugal vão medir forças com a Itália, segunda no Grupo B.

As melhores imagens do jogo

Entrar a ganhar para depois espalhar classe

A precisar de apenas um ponto para garantir o apuramento para os quartos de final, Rui Jorge apostou numa equipa de jogadores tecnicistas, com um meio-campo formato por Daniel Bragança, Vitinha e Fábio Vieira, e com Pedro Gonçalves, Tiago Tomás e Trincão na frente. A defesa foi a mesma dos anteriores encontros. Em relação ao jogo com a Inglaterra, saíram Florentino, Gedson e Dany Mota do onze entraram Daniel Bragança, Tiago Tomás e Francisco Trincão.

Apurando-se, Portugal sabia que iria defrontar a Itália se ganhasse o grupo, ou a Espanha se passasse em segundo.

A entrada a vencer era o melhor que podia acontecer a Portuga frente a uma Suíça que tinha aspirações em seguir em frente. Logo aos três minutos, o defesa central Diogo Queirós aproveitou um centro de Vitinha para cabecear para o 1-0, num lance de insistência da formação lusa.

A vencer, Portugal serenou ainda mais e dominou o jogo a seu bel-prazer, com trocas de bola no meio-campo contrário, quase sempre com passes curtos e muitas vezes de primeira. A qualidade técnica de Daniel Bragança, Vitinha, Fábio Vieira e Trincão era demais para uma Suíça que dependia mais de individualidades como Alexandre Jankewitz.

NDoye parecia ser o mais perigoso dos helvéticos. Ameaçou o empate aos 16, num remate rasteiro que passou ao lado da baliza de Diogo Costa. Voltou a tentar aos 33, mas falhou a bola quando estava em boa posição para marcar.

A terminar a primeira parte, mais duas jogadas de perigo da seleção de Portugal. Aos 39 minutos, Tiago Tomás combinou com Pedro Gonçalves, mas o avançado de 18 anos acabou por permitir a defesa do guardião contrário. Depois é Trincão a fletir da direita para o meio e a disparar forte, às malhas laterais.

O segundo tempo não trouxe mudanças no ritmo e rumo do jogo: os jovens portugueses iam dando espetáculo, fazendo valer o seu poderio técnico. Aos 60 minutos, Fábio Vieira faz um passe fantástico para Tiago Tomás, que atirou contra o guarda-redes. A bola sobrou para Francisco Trincão que só teve de encostar para o 2-0.

Francisco Conceição entra e marca

A Suíça mexeu e o selecionador lançou Toma, uma das melhores individualidades da equipa, e ainda Zeqiri, nos lugares de Mambimbi e Lotomba. Já Rui Jorge lançou Francisco Conceição, João Mário (estreia) e Gonçalo Ramos, nos lugares de Trincão, Fábio Vieira e Tiago Tomás.

Dois minutos depois de entrar, Francisco Conceição, o mais jovem da equipa, fez o 3-0. O extremo de 18 anos (a jogar como número 10) pressionou Van Der Werff, este atirou a bola contra as pernas do benjamim dos sub-21 lusos. O filho de Sérgio Conceição ganhou a bola, entrou na área e já em desequilíbrio, atirou a contar, aos 65 minutos.

Pouco tempo depois, Rui Jorge lançou Gedson Fernandes e Filipe Soares nos postos de Vitinha e Pedro Goncalves.

A perder por 3-0 e a ver Portugal dar espetáculo, com fintas e trocas de bola com passes curtos, os helvéticos começaram a entrar mais duro nas jogadas. Miro Muheim pagou a fatura ao ver dois amarelos em dois minutos, aos 70 e 72, com duas entradas feias que o árbitro sueco Glenn Nyberg não deixou passar.

Até ao final, Portugal podia ter marcado mais golos mas houve algum deslumbramento com o resultado e com a superioridade numérica e técnica.

Este foi o 16.º jogo entre lusos e helvéticos neste escalão, com 11  vitórias de Portugal, três empates e duas derrotas.

No outro jogo do grupo, a Inglaterra tinha assegurado o apuramento mas um golo da Croácia marcado por Domagoj Bradaric aos 91 minutos, apurou os croatas em detrimento dos ingleses.

Portugal terminou o Grupo D com nove pontos, Croácia, Suíça e Inglaterra terminaram todos com três. Os croatas apuaram-se graças a diferença de golos: um golo negativo, face aos três negativos da Suíça e os dois da Inglaterra.

A segunda fase da prova decorre de 31 de maio a 06 de junho, igualmente na Hungria e Eslovénia, países coorganizadores da prova.

Finalista vencido em 1994 e 2015 e ausente da edição de 2019, Portugal procura o primeiro título neste escalão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.