Portugal sofreu e muito para levar de vencida a Islândia, no seu terceiro jogo no Grupo D de apuramento para o Euro sub-21 de 2023. Valeu aos jovens portugueses uma grande exibição do guardião Celton Biai no primeiro tempo, para chegar aos três pontos. Fábio Vieira fez o golo da vitória que coloca os vice-campeões europeus na liderança do grupo com nove pontos em três jogos, mais um ponto que a Grécia que tem um jogo a mais.

Após o retumbante 11-0 (!) aplicado ao Liechtenstein, os menos atentos podiam pensar que seria uma questão de números uma goleada à Islândia. Puro engano. O futebol da equipa do Norte da Europa evoluiu muito nos últimos anos, principalmente nesta jovem seleção de sub-21. Uma vitória e um empate era o cartão de visita da Islândia neste Grupo D de apuramento para o Euro sub-21 de 2023, antes deste encontro no Estádio Vikingsvöllur, em Reiquiavique frente aos vice-campeões europeus.

E tudo Celton parou...

Para este jogo, Rui Jorge fez jus ao ditado 'em equipa que ganha não se mexe' e meteu em campo os mesmos que golearam o Liechtenstein.

Desde cedo ficou claro que este jogo seria muito difícil para Portugal. No primeiro tempo, Celton Biai foi o melhor dos jovens lusos, o que diz muito do ataque islandês.

A primeira oportunidade até foi de Portugal, aos 10 minutos. Fábio Silva deixou de cabeça em Gonçalo Ramos mas o guardião Andrésson saiu rápido e impediu o ponta de lança que atua no Benfica de faturar.

Depois entrou em cena Celton Biai, a manter a baliza a zeros. Aos 11 minutos, Bjarkason ganhou espaço na área lusa e disparou colocado, para defesa fantástica de Celton Biai; aos 17, Magnusson aproveitou um centro de Bjarkason para testar os reflexos do guardião luso; aos 23, defesa com os pés de Celton Biai a remate de Ingasson. A defesa portuguesa estava muito permeável, tanto pelas laterais como pelo meio.

No 4-4-2 losango de Rui Jorge, a defesa tem sofrido muito, não tanto por culpa própria mas pela falta de ajuda dos médios que jogam nos vértices laterais. Os laterais estão quase sempre em inferioridade numérica, tornando fácil entrar por aí.

Aos poucos, os vice-campeões europeus foram soltando-se no jogo, a ter mais bola, e sair com mais critério. Aos 24 minutos, Fábio Vieira fez um passe fantástico para Fábio Silva, o avançado recebeu e rematou de forma acrobática, para grande defesa do guardião contrário

Com dificuldades na criação, os laterais João Mário e Nuno Tavares também não ajudavam: muitas perdas de bola ao tentarem o um-contra-um e pouca fluidez pelas laterais.

Fábio Vieira desata o nó

Era preciso ser mais assertivo no segundo tempo porque o jogo não estava fácil. Aos 55 minutos, centro de Fábio Vieira e Fábio Silva a receber e a rematar contra o corpo do guarda-redes. No mesmo minuto, Portugal encontrou o caminho do golo numa má saída de bola dos nórdicos: Gonçalo Ramos fez o corte, a bola foi ter com Fábio Vieira que tirou um adversário do caminho com um toque e rematou de pronto, batendo Andrésson pela primeira vez.

Aberto o ativo, Rui Jorge tentou algo mais do jogo, trocando André Almeida, Fábio Silva e Tiago Dantas por Paulo Bernardo, Tiago Tomás e Afonso Sousa.

Logo a seguir ao golo, a Islândia podia ter empatado por Magnusson, em mais um lance onde a defesa lusa andou a 'dormir', mas Eduardo Quaresma recuperou a tempo e fez um corte fantástico.

Com o tempo a passar, Portugal ia controlando o jogo, embora a Islândia nunca tenha desistido de atacar. No entanto, já não o fazia com tantas facilidades como no primeiro tempo.

O 2-0 voltou a estar nos pés de Fábio Vieira, num livre estudado, mas o remate do médio ofensivo foi contra o corpo do guarda-redes Andrésson.

Sofrimento até ao último segundo

Em desespero, a Islândia partiu em busca do empate nos descontos e podia ter marcado aos 95 minutos, mas a bola milagrosamente acabou por não entrar na baliza de Celton Biai. Portugal saiu depois em contra-ataque, quando o guardião islandês estava na área lusa, Afonso Sousa marcou a passe de Tiago Tomás mas o árbitro marcou fora de jogo. Não se percebe a decisão: Francisco Conceição lançou Tiago Tomás que saiu do seu meio-campo, o avançado deu em Afonso Sousa, num passe feito para trás.

Vitória difícil de Portugal, num jogo onde sofreu até ao último segundo.

Com o adiamento do jogo entre a Grécia e a Bielorrússia, Portugal passa a liderar o grupo D com nove pontos em três jogos, seguindo-se a Grécia, com oito, mas mais um jogo, e o Chipre em terceiro, com sete.

Já a Islândia está no quarto lugar, com quatro pontos, enquanto a Bielorrússia e Liechtenstein, que se defrontam hoje, ainda não somaram qualquer ponto.

Em novembro, Portugal vai ter uma jornada dupla frente ao Chipre.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.