Rui Jorge, selecionador nacional Sub-21, considerou que a partida frente à Itália foi equilibrada, tal como todos os jogos nesta fase final do Europeu da categoria.

O treinador lamentou que a equipa tenha desperdiçado uma vantagem de dois golos por duas vezes e que não tenha sido mais agressiva no ataque.

"Enfrentámos uma equipa tremenda. Tivemos dois golos de vantagem por duas vezes. Com a Itália a arriscar mais, tínhamos de ter sido mais agressivos em termos ofensivos. Não conseguimos, acabámos por sofrer, é duro sofrer a acabar a primeira parte e o jogo. Mas acho que merecemos", disse.

Sobre as falhas defensivas, Rui Jorge admite que ainda não analisou a defesa ao pormenor, mas que, visto do campo, não lhe pareceu que tivessem existido falhas posicionais.

"Existem dois golos em que a bola passa por baixo do pé do jogador... acontece. Mas termos de posicionamento acho que não estávamos mal, mas vamos rever tudo isso. No segundo golo, tenho de perceber como é que a bola entra ali. (...) Quando se erra um bocadinho é-se imediatamente penalizado. Acho que fizemos um bom jogo defensivamente, mesmo tendo sofrido três golos", afirou.

Rui Jorge considerou que faltou maturidade à equipa para segurar a vantagem no marcador, mas realçou a "crença enorme" da equipa, que beneficiou da vantagem numérica durante a quase totalidade do prolongamento.

Agora segue-se a Espanha, um seleção que Rui Jorge ainda não observou com "olhos de ver", mas que já está a ser analisada pelos seus adjuntos.

" Vamos ver os jogos e depois em função disso, veremos o que vamos fazer", realçou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.