O Benfica acaba a época 2019/20 do futebol feminino como o único vencedor, face à conquista da Supertaça, mas perde mais do que ganha, pois estava bem posicionado para poder arrebatar as restantes três competições.

Na primeira época no escalão principal, depois de em 2018/19, na estreia no futebol feminino, ter vencido a segunda divisão e a Taça de Portugal, o conjunto da Luz liderava o campeonato, estava na final da Taça da Liga e nas ‘meias’ da Taça de Portugal.

As três provas ficam sem vencedor, depois de a FPF ter hoje decidido “dar por concluídas as provas nacionais não-profissionais” sob a sua égide, devido à pandemia da covid-19, que tinha, numa primeira fase, suspenso as competições.

A FPF avançou ainda que anunciará posteriormente os representantes de Portugal na ‘Champions’.

No que respeita à principal competição nacional, a luta era a dois, entre Benfica e Sporting, que seguiam igualados com 42 pontos, depois, de, na última ronda disputada, a 15.ª de 22, as ‘leoas’ terem batido as ‘águias’ por 3-2, em 23 de fevereiro, graças a um tento sobre o final, de Diana Silva.

As ‘encarnadas’ perderam o estatuto de 100% vitoriosas, mas ainda lideravam a Liga feminina, graças à vantagem no confronto direto, pois, na primeira mão, em 19 de outubro de 2019, bateram as ‘verde e brancas’ por 3-0, em pleno Estádio da Luz.

O Benfica, em clara vantagem também na diferença total de golos (101-4 contra 69-10), não tinha, ainda assim, margem de manobra nas últimas sete rondas, num campeonato que deveria finalizar em 23 de maio com um Benfica-Sporting de Braga.

As ‘arsenalistas’ permanecerão, assim, como detentoras do troféu, sendo que em campo, e a oito pontos de Benfica e Sporting, estavam praticamente sem hipóteses de o revalidar, sobretudo porque não pontuaram nos três jogos contra as rivais lisboetas.

No que respeita às restantes competições que estavam em andamento, a luta previa-se também a dois, mas entre benfiquistas e bracarenses, que, em 21 de março, na Covilhã, deveriam ter disputado a final da primeira edição da Taça da Liga feminina.

As duas formações apuraram-se para a final ao ficarem nos dois primeiros lugares de um quadrangular, a três jornadas, que também incluiu Sporting e Futebol Benfica.

Na Taça de Portugal, Benfica e Sporting de Braga, que tinha afastado o Sporting (3-0 em Alcochete), também estavam na ‘rota’ da final.

As duas formações eram claras favoritas nas meias-finais, as comandadas de Luís Andrade face ao ‘secundário’ Famalicão e as bracarenses, de Miguel Santos, frente ao Estoril Praia, quarto da Liga. A ronda, a duas mãos, seria em 26 de abril e 10 de maio.

O primeiro troféu da época, que acaba por ser o único entregue, também foi decidido entre Benfica e Sporting de Braga, com as lisboetas a imporem-se por 1-0, em 08 de setembro, em Tondela, graças a um golo da espanhola Pauleta.

Na Europa, a covid-19 parou a ‘Champions’, nos quartos de final, que teriam sido em 25 de março e 01 de abril, com os embates Lyon-Bayern Munique, Atlético Madrid-FC Barcelona, Arsenal-Paris SG e Glasgow-Wolfburgo. O Lyon procura o ‘penta’.

Quanto ao futsal, o Benfica liderava, com o pleno de cinco vitórias em cinco jogos, a fase de apuramento de campeão do nacional, com mais três pontos do que o Santa Luzia e cinco face ao Sporting, que já goleara em casa por 7-1.

Na Taça de Portugal, a ‘final four’ deveria ter-se jogado em 14 e 15 de março, em Matosinhos, com o Benfica a defrontar o Santa Luzia e o Desportivo de Chaves o Arneiros, nas ‘meias’.

A abrir a temporada, na Supertaça, em 28 de setembro de 2019, em Ponte de Sôr, o Benfica impôs-se à Novasemente por 2-1 no desempate por grandes penalidades, depois de uma igualdade a quatro golos no final do prolongamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.