Um antigo colega de Luka Modric no Dínamo Zagreb contou em entrevista à ESPN Brasil algumas peripécias sobre o médio que foi eleito o Melhor Jogador do Mundo em 2017, da FIFA.

"No dia a dia ele era muito quieto, não era aquela pessoa de falar muito. Era muito boa pessoa e brincava de vez em quando, mas era uma pessoa mais tímida. Aprendeu bastantes coisas em português. Quando cheguei [ao Dínamo de Zagreb], ele já sabia muitas coisas, porque o Eduardo da Silva [avançado brasileiro] estava lá há três anos. Ele ensinou algumas palavras, inclusivé, claro, os palavrões", contou Carlos Santos de Jesus que jogou com o internacional croata no Dínamo de Zagreb, entre 2005 e 2008.

"Apesar de ser uma pessoa muito tímida e quieta fora do campo, dentro dele ele transformava-se. Gozava-nos sempre [aos brasileiros], com os nossos palavrões típicos. Era muito engraçado ver um europeu gozar-nos no nosso idioma. Em vez de ficarmos chateados, riamo-nos", atirou ainda o defesa-central brasileiro de 33 anos que adquiriu nacionalidade croata em 2007.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.