Frank de Boer é uma das vozes contra o regime igualitário de salários tanto de homens como de mulheres no futebol.

Em entrevista ao 'The Guardian', o técnico e antigo jogador opõe-se ao regime que foi proposto e que é uma das principais bandeiras das jogadoras norte-americanas.

De Boer explica o porquê da sua posição.

"A final do campeonato é vista por 500 milhões de pessoas ou algo sim, e a feminina atrai 100 milhões. Essa é a diferença [entre futebol masculino e feminino]. Então, não é a mesma [realidade]. É claro que elas têm de receber o que é justo e não menos do que isso. Mas devem batalhar pelo que realmente merecem. Se o futebol feminino chegar a ser tão popular quanto o masculino, aí elas vão conseguir. Porquê pagar o mesmo? Eu acho ridículo e não vejo motivo para essa discussão", atirou o treinador do Atlanta United.

Recorde-se que esse assunto ganhou eco porque a federação holandesa estuda uma forma de equiparar os salários de jogadores e jogadoras da seleção e também nos Estados Unidos depois da seleção feminina se ter sagrado tetra-campeã mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.