O Presidente uruguaio, Luis Lacalle Pou, recordou hoje Diego Maradona, que morreu na quarta-feira aos 60 anos, como “um grande jogador de futebol” e assinalou que após ser informado viu o famoso vídeo quando “El Pibe” jogava no Nápoles.

Lacalle disse ter visionado as filmagens de um aquecimento da equipa de futebol do Nápoles – quando Maradona passou por esta equipa italiana entre 1984 e 1991– com o craque argentino a dominar a bola ao ritmo da canção “Life is life”, do grupo austríaco Opus.

No entanto, o Presidente uruguaio, filiado no Partido Nacional (direita), assegurou hoje que não ficou emocionado nem abatido pela notícia da morte do astro argentino, que apenas reconheceu como um excelente futebolista, evitando referir-se a outros temas da vida de Maradona.

“É um futebolista, ídolo de multidões. Eu sou Presidente da República, não me compete opinar sobre esses temas”, assinalou Lacalle Pou, que acrescentou que poderia tecer esses comentários em conversas particulares.

A morte de Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, foi anunciada ao início da tarde de quarta-feira pelo agente e seu amigo Matías Morla.

Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia de La Plata, sofreu uma paragem cardiorrespiratória na sua vivenda em Tigre, na província de Buenos Aires.

A sua carreira de futebolista, de 1976 a 1997, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA vencidos ao serviço dos italianos do Nápoles.

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona, cujas cerimónias fúnebres vão decorrer até sábado, na Casa Rosada, a sede do governo do país.

O caixão está envolto com a bandeira argentina, uma camisola da seleção e uma do Boca Juniores, o clube que idolatrou em toda a sua vida, às quais se juntou depois a do clube Argentinos Juniors, equipa onde iniciou a carreira.

Alberto Fernández é um reconhecido adepto do Argentinos Juniors e grande admirador de Maradona, que para além de deixar junto ao caixão a bandeira desta equipa, também colocou um par de lenços brancos, símbolo das Mães da Praça de Maio, associação argentina de mães com os filhos assassinados ou desaparecidos durante o terrorismo de Estado da ditadura militar, que governou o país entre 1976 e 1983.

O velório de Maradona, que se iniciou ao início da manhã de hoje, vai prolongar-se até às 16:00 locais (19:00 em Lisboa), com centenas de milhares de pessoas a prestarem homenagem a “El Pibe”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.