Janz Jansa, primeiro-ministro da Eslovénia, deixou críticas à forma como a UEFA lidou com a fase inicial da pandemia da COVID-19, nomeadamente o facto de Aleksander Ceferin ter permitido que se realizasse a partida entre Atalanta e Valência.

"Manter a Liga dos Campeões foi um ato criminoso irresponsável, mais ainda, de propagação do perigo, que não se limitou à Eslovénia. Desde concertos até espetáculos de futebol em Itália e em Espanha, o vírus propagou-se rapidamente pela Europa e milhares de pessoas morreram e continuarão a morrer", começou por dizer Janez Jansa.

"Alguns concertos e jogos de futebol não foram cancelados devido à ganância pelo dinheiro, mesmo depois de a Organização Mundial de Saúde declarar o coronavírus como pandemia", frisou.

Recorde-se que na véspera tinha sido Ceferin a criticar a gestão da pandemia na Eslovénia, país do dirigente: "Eles têm de dizer que a situação é grave, mas ao mesmo tempo devem dar otimismo e esperança ao povo. Não podemos dizer às pessoas todos os dias 'que deve explodir hoje e que amanhã vai piorar". Não podemos fazer isso, senão as pessoas dão em loucas. Não podemos falar assim, porque a epidemia vai acabar."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.