O guarda-redes Fock, os defesas Edson e Nuno, o médio Osório e o avançado Love Cabungula estão de saída do plantel do Recreativo da Caála, a pedido dos mesmos, por não estarem de acordo com a decisão do clube em reduzir os salários dos jogadores, em virtude da crise financeira que o grémio enfrenta desde o início da época.

Ao confirmar o facto hoje, terça-feira, à imprensa, o treinador dos caalenses, Hélder Teixeira, embora respeite a decisão dos jogadores, lamentou a saída dos mesmos, referindo que a direção do clube e a equipa técnica tudo fizerem para convencerem os atletas a continuarem.

Disse que os mesmos apresentaram pedidos de rescisão dos respetivos contratos por justa causa, pelo que a direção não teve outra alternativa a não ser satisfazer a vontade manifestada por eles, três dos quais titulares absolutos (Fock, Edson e Nuno) e os dois alternavam a titularidade e o banco, mas, ainda assim, fazem parte dos mais utilizados na recém-terminada I volta.

"Infelizmente não contaremos, na II volta, com o Fock, o Edson, Nuno, Osório e o Love, por terem rescindido os respectivos contratos. Lamentamos imenso a situação, uma vez tratar-se de jogadores com os quais muito contávamos", informou.

Para suprir as vagas deixadas em aberta por estes cinco futebolistas, Hélder Teixeira disse estarem em negociações muito avançadas com alguns jogadores, no país e no estrangeiro, dispostos em representar o Caála na II volta, mas escusou-se revelar nomes.

Informou que a prioridade passa por contratar um guarda-redes de qualidade e experiência reconhecida, um defesa central e dois avançados com grande capacidade de finalizar, já que, no seu entender, o setor atacante foi o mais fraco durante as primeiras 15 jornadas do presente Girabola.

Enquanto decorrem negociações com os potenciais reforços, o treinador do Recreativo da Caála disse estar apostado em encontrar algumas soluções na equipa júnior do clube, vice-campeã angolana da categoria, onde acredita haver bons jogadores, apesar da imaturidade.

Com a saída destes cinco, eleva-se para 11 o número de futebolistas que optaram em abandonar o plantel por discordarem da redução de seus salários. Os primeiros foram o guarda-redes João, os defesas Cassoma, Finidi e Simba, o médio Simão e o avançado Fábio.

Destes, nove estavam a representar o clube pela primeira vez e tinham assinado contratos válidos por duas épocas. Trata-se de Nuno e Love (ex-Kabuscorp do Palanca), Osório (ex-Petro de Luanda), Fábio (ex-Farense de Portugal), João (ex-Estoril de Portugal), Simão (ex-FC de Cabinda), Simba (ex-ASA) e Finidi (ex-Benfica do Lubango). Cassoma e Fock chegaram ao Caála em 2014 e Edson em 2011.

Em vias de deixarem o Recreativo da Caála pelas mesmas condições estão os avançados Chiló e Fufuco e os médio Celson e Femi. A Caála terminou a I volta na última posição (16º) com 12 pontos, fruto de nove empates e uma vitória, tendo sido derrotado em cinco jogos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.