Resultados pouco previsíveis, ou até surpreendentes, marcaram no sábado a 29ª e penúltima jornada do Girabola2016, que desfez a onda que se formava à volta do movimento futebolístico angolano para uma "finalíssima".

Realizada em simultâneo, a ronda consagrou o 1º de Agosto, salvou a província da Huíla da despromoção e frustrou as expectativas petrolíferas de finalíssima.

Nos jogos mais importantes da jornada, o 1º de Agosto cumpriu ao bater por 3-0 o ASA, que nem com o risco de despromoção deu competência para adiar a décima taça dos rubro-negros.

Após um encontro entre os únicos totalistas da prova, os militares somaram 66 pontos no topo e os aviadores mantiveram os 30 na área de despromoção, quando falta disputar uma jornada.

Se o resultado parece convincente, no terreno nem tanto, até certo momento, pois ao intervalo havia nulo. A chama de campeão sobressaiu entretanto e o 1º de Agosto somou a sexta vitória consecutiva e até se deu ao luxo de falhar uma grande penalidade e ter o seu goleador em branco.

Ao mesmo tempo, no outro jogo do título o Petro de Luanda consentia um empate que, mais do que interromper uma sequência de oito vitórias consecutivas, viu a esperança do título "voar pelas asas da águia".

O golo do concorrente chegou às hostes petrolíferas e terá desestabilizado o grupo, que não teve por isso o habitual discernimento para desfeitear o adversário, que nem sequer tinha algum objetivo específico que não a honra da camisola, já está confortável (6º, 41 pontos).

O nulo retira os tricolores da luta pelo cetro que perseguem desde 2009, e ainda sob risco de perder o segundo lugar, pois os 61 pontos já não alcançam os 66 do 1º de Agosto, mas podem ser ultrapassados pelos 60 do Recreativo do Libolo na última jornada. Para tal, basta uma derrota ou empate no Petro-1º de Agosto e um triunfo no Desportivo da Huíla-Libolo no dia 5 de novembro.

O campeão angolano destronado venceu numa das poucas partidas cujo resultado tinha prognóstico fechado o já despromovido Porcelana FC por 4-2.

Os libolenses ganham ânimo para chegarem ao vice-campeonato, que embora “nada valha” para efeitos competitivos, conta para o palmarés. O adversário será uma equipa tranquila (33), já que obteve a “autorização” de permanência em casa do Recreativo da Caála, com vitória de 1-0, que se explica também pelo facto de os anfitriões estarem já desafogados na classificação (9º, 34 pts).

A Académica do Lobito, ao receber e bater por 2-1 o Kabuscorp do Palanca (4º com 46 pts) deu passo importante para que a província de Benguela não seja riscada do Girabola, depois de confirmada a descida do 1º de Maio.

Com mais um resultado adequado à jornada, os lobitangas somaram 31 e vão ter de confirmar a permanência em casa do Interclube (7º, 41 pts), mas podem nem sequer ter necessidade de pontuar se o 4 de Abril vencer em casa do ASA.

O empate sem golos precioso na receção do Interclube coloca o 4 de Abril em favorável posição para sobreviver às “intempéries” dentro do campo, que são menos nocivas do que as que passam fora dos relvados. Um empate em Luanda mantém viva a formação do técnico João Machado.

Por fim, os resultados mais “normais” da ronda: o Progresso recebeu e venceu por 2-0 o Sagrada Esperança, num embate entre formações a cumprirem calendário, e a derrota caseira do Progresso da Lunda Sul (5º, 43 pts) ante o despromovido 1º de Maio.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.