A China vai fixar um teto salarial para os jogadores de futebol a partir da próxima temporada, medida para conter os altos gastos após as recentes contratações de estrelas estrangeiras, anunciou esta quarta-feira um órgão de imprensa estatal.

Esta lei tenta limitar os gastos e obrigar os profissionais chineses a celebrarem novos contratos em 2019, segundo a agência de notícias Xinhua, que cita fontes da federação nacional de futebol.

As autoridades não decidiram ainda o valor do teto. Além disso, não menciona os salários dos jogadores estrangeiros, alguns deles muito altos. Os bônus em caso de vitória também serão limitados, destacou Xinhua.

O futebol chinês ganhou visibilidade internacional nos últimos anos, após a chegada de várias estrelas mundiais para jogarem na Super League.

O brasileiro Oscar transferiu-se para o Shanghai SIPG em janeiro de 2017 pelo valor recorde na Ásia de 60 milhões de euros. Em 2016, o argentino Carlos Tévez foi transferido para o Shanghai Shenhua para se tornar no jogador mais bem pago do mundo, recebendo 730.000 euros por semana durante a sua breve passagem pelo país.

O teto salarial é a medida mais recente para limitar os gastos no futebol chinês. Desde 2017 a federação impõe uma taxa aos clubes em transferências acima dos 45 milhões de yuanes (5,7 milhões de euros) para evitar gastos extravagantes para contratar estrelas estrangeiras.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.