A primeira-ministra belga, Sophie Wilmès, indicou hoje que todas as manifestações culturais, desportivas e recreativas vão continuar interditas até 30 de junho, de forma a evitar a propagação do novo coronavírus no país.

Salientando que o Governo belga continua a envidar esforços para aligeirar as medidas restritivas em vigor, Wilmès realçou que o primeiro dia de desconfinamento parcial no país - segunda-feira reabriu o comércio - decorreu, globalmente, de forma positiva.

No entanto, acrescentou, os cafés e restaurantes só deverão reabrir a 08 de junho próximo, enquanto o regresso às aulas começará a fazer-se a partir da próxima segunda-feira.

“Não haverá provavelmente o regresso á normalidade ainda nesta primavera. Todas as manifestações ou eventos culturais, desportivos, turísticos e recreativos vão permanecer interditos até 30 de junho”, referiu a primeira-ministra belga, que falava durante uma conferência de imprensa em Bruxelas.

De qualquer forma, indicou, haverá exceções, sob determinadas condições.

As cerimónias de casamento e fúnebres serão autorizadas a partir de 18 deste mês, mas limitadas a um máximo de 30 pessoas.

Nos clubes desportivos, os treinos de jogadores e atletas terão de ser supervisionados por um adulto com responsabilidades sanitárias, devendo cada grupo não ultrapassar as 20 pessoas.

Por outro lado, prosseguiu Welmès, os belgas terão de respeitar o distanciamento social, devendo aceitar também a recomendação do uso de uma máscara protetora na face.

Em casa, cada família está autorizada, desde 10 deste mês, a receber até quatro pessoas, lembrou.

A Bélgica continua a registar uma descida do número de novos casos de COVID-19, que recuaram nas últimas 24 horas para os 202, menos 128 do que no dia anterior, segundo dados hoje divulgados.

Em conferência de imprensa as autoridades de saúde belgas divulgaram que o número de novos casos recuou para 202 nas últimas 24 horas, sendo o total desde o início da pandemia de 53.981, um recuo de 128 na comparação com os 330 registados na terça-feira.

Nas últimas 24 horas, registaram-se na Bélgica 82 novas mortes por COVID-19, mais 17 do que as 65 de terça-feira, com o país a totalizar agora 8.843 óbitos devido à pandemia.

Segundo os dados de hoje, nas últimas 24 horas foram hospitalizadas 70 pessoas (43 na terça-feira), num total de 16.392, e 205 tiveram alta (35 na véspera), o que perfaz 13.937 recuperadas.

O pico de mortes por COVID-19 aconteceu na semana de 06 a 12 de abril, ao fim de quatro semanas de confinamento na Bélgica, com o número máximo de 340 óbitos a ser registado no dia 12 de abril.

A Bélgica, país de 11,5 milhões de habitantes, o vírus “continua perigoso”, alertou Welmès, que apelou a todos para continuarem a limitar ao máximo os contactos.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 292 mil mortos e infetou mais de 4,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.