O “crédito sindicado”, do qual o “Barca” dará mais detalhes na quinta-feira, foi alcançado junto de dois bancos principais e oito outras entidades financeiras.

O clube já tinha revelado a 6 de Julho a necessidade de contrair um empréstimo para enfrentar problemas de tesouraria a curto prazo.

“Encontrámos um clube endividado e com problemas de tesouraria, mas estamos a caminho de os resolver”, disse o presidente Sandro Rosell, explicando que o grande desafio seria pagar os compromissos imediatos.

Na ocasião, Rosell pediu, no entanto, tranquilidade aos adeptos, assegurando que o clube não está falido.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.