Depois de Liga e federação espanhola de futebol terem decidido suspender por tempo indeterminado as competições futebolisticas nacionais, profissionais e amadoras, ditando que estas só serão retomadas quando existirem condições de segurança para tal, após avaliação das entidades de saúde competentes, o presidente da federação, Luis Rubiales, disse não aceitar a possibilidade de sobrecarga de jogos.

Rubiales afirmou, em entrevista ao diário espanhol 'As', preferir que se acabe a atual época e se comece a próxima com um calendário adaptado, de forma a não tornar injusta a competição agora suspensa por tempo indeterminado.

"Qualquer cenário que não seja acabar a temporada é injusto. Fui futebolista profissional durante muitos anos e sei perfeitamente que jogar a cada 48 horas continuadamente é impossível porque vai contra a saúde dos desportistas e é contra a integridade da competição", salientou Rubiales.

O líder federativo contesta, assim, o cenário que que o presidente da Liga, Javier Tebas, tem pondeador, de acordo com o qual a prova seria eventualmente retomada a 16 de maio e depois jogada até 30 de junho, com as equipas a chegarem a disputar quatro jogos em dez dias.

"Fechar a competição e decretar subidas, descidas e campeões é algo que não me passa pela cabeça, porque defendemos que uma prova que começa deve acabar. O mais razoável é que, quando a saúde o permitir, se retomem as provas e a temporadas 2020/21 se adapte segundo o tempo e o calendário que nos restar", sugeriu Rubiales, vincando que deverá ser temporada seguinte a ser, depois, ajustada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.