O Atlético de Madrid anunciou hoje que vai recorrer junto das autoridades para o trabalho de um expediente temporário de emprego (ERTE), para reduzir a massa salarial de jogadores, treinadores e funcionários, a exemplo do Espanyol e FC Barcelona.

O clube do português João Félix adianta que irá tentar "minimizar o impacto da medida”, causada pela paragem dos campeonatos na sequência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), e irá limitá-la ao que é “estritamente essencial”.

O diretor executivo do Atlético de Madrid, Miguel Ángel Gil Marín, explicou que o recurso ao ERTE foi “uma decisão difícil” de tomar, mas foi pensada com “o único objetivo de garantir a sobrevivência do clube”.

Gil Marín salienta que a medida afetará “funcionários, jogadores e técnicos das equipas", e promete que “tudo voltará ao normal” quando regressar a competição.

"Nunca na história recente de nosso país enfrentámos uma crise desta magnitude ou com consequências dramáticas em termos de saúde”, acrescenta Gil Marín, garantindo que, enquanto diretor, nunca passou por “um momento tão delicado e de futuro incerto”.

O acionista principal do Atlético de Madrid recordou que em poucos dias o clube passou da “euforia do Liverpool”, com a vitória que deu o acesso aos quartos de final da Liga dos Campeões, para o confinamento, e prometeu todo o seu apoio até a competição recomeçar.

"Não sabemos quando é que a competição será retomada e em que condições, portanto ainda não podemos especificar nenhuma medida a esse respeito, mas desejo enviar uma mensagem de calma a todos e dizer que já estamos a trabalhar em todos os cenários possíveis”, refere.

O Espanyol, à semelhança do que fez o FC Barcelona na quinta-feira, também anunciou hoje que irá apresentar às autoridades para o trabalho um ERTE (expediente temporário de emprego) em que pretende avançar com um corte salarial aos futebolistas.

A medida foi anunciada em comunicado e afeta o plantel principal, no qual se inclui o ex-benfiquista Raul de Tomás, a equipa feminina, do Espanyol B, dos juniores e juvenis, bem como treinadores e preparadores físicos das várias equipas.

Também o FC Barcelona anunciou a adesão ao ERTE, que irá implicar “a redução proporcional da remuneração prevista nos respetivos contratos de trabalho”, salientado que, na aplicação esta medida, irá “obedecer escrupulosamente às normas vigentes na lei do trabalho”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 4.858, entre 64.059 casos de infeção confirmados até hoje.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 354 estão internados, 71 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.