Dani Alves mudou de prisão na Catalunha, onde está preso, depois de ser acusado de violação e agressão a uma mulher de 23 anos, numa discoteca da cidade, a 30 de novembro.

De acordo com o jornal espanhol 'La Vanguardia', o antigo lateral direito do Barcelona foi transferido do centro prisional de Brians 1 para o de Brians 2, por "questões de segurança". Uma mudança justifica pela "necessidade das autoridades prisionais garantirem tanto a privacidade de um prisioneiro extremamente popular como a sua segurança".

Na Brians estão maioritariamente presos condenados, mas também alguns detidos em prisão preventiva, como o lateral brasileiro. Aqui os prisioneiros estão celas individuais com chuveiros.

O jogador mudou também de defesa por entender que a advogada Maraida Puente Wilson não estava a defende-lo da melhor forma. O novo advogado é Andrés Marhuenda Martínez e terá de delinear uma nova estratégia de defesa, perante as três versões que Dani Alves já deu sobre o caso: disse que não conhecia a vítima, depois assumiu que a conheceu nessa noite e só mais tarde confessou que teve relações sexuais com a mulher que estas foram consensuais.

Dani Alves ficou está em prisão preventiva, em Barcelona, desde o dia 20 de dezembro, depois de uma juíza do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha ter aceitado o pedido da procuradoria nesse sentido, no âmbito de um processo por alegada agressão sexual.

Depois de ouvir o futebolista, a magistrada decidiu que Dani Alves ficava em prisão preventiva pelos factos que terão ocorrido numa discoteca de Barcelona, no final do ano, explicou o tribunal, em comunicado.

O jogador fora intimado a apresentar-se no comissariado de Les Corts de Barcelona, na sequência do inquérito por alegado delito de agressão sexual, cuja denúncia foi apresentada em 02 de janeiro.

Os factos alegados teriam ocorrido na noite de 30 para 31 de dezembro, numa discoteca da cidade, mas já em 05 de janeiro Dani Alves disse à cadeia televisiva espanhola Antena 3 não ter agredido ninguém e que não conhece a queixosa.

"Gostaria, antes do mais, de desmentir isto. Estava lá, a passar uma noite boa com outras pessoas, mas sem invadir o espaço dos outros. Não sei quem é essa mulher, não a conheço", disse na altura Dani Alves, de 39 anos.

No entanto, de acordo com a imprensa espanhola, o jogador já deu três versões sobre os factos ocorridos. Assumiu depois que conheceu a mulher e, mais tarde, reconheceu que teve relações sexuais com ela, embora nega que tenha sido contra a vontade da vítima.

Dani Alves, que esteve no Mundial2022, no Qatar, deixou também de ser jogador dos mexicanos do Pumas, após o caso.

O lateral teve uma carreira de sucesso em Barcelona, onde passou alguns dias de férias em dezembro, após ter integrado a seleção brasileira que disputou o último Campeonato do Mundo.

Além do FC Barcelona, também jogou pela Juventus e pelo Paris Saint-Germain, entre outros, numa carreira repleta de sucessos, que o levou a ser o jogador mais titulado do mundo, com 43 troféus.

O internacional brasileiro, que é casado com uma espanhola, estava de férias após o Mundial, antes de regressar ao Pumas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.