Enzo Pérez, futebolista que trocou o Benfica pelo Valência no passado mês de janeiro, mostrou-se aliviado pela mudança para Espanha e confessou que todo o processo de negociação demorou demasiado tempo.

"Foi mais longo do que uma telenovela. Às vezes o jogador põe-se à margem das negociações e os dirigentes é que têm de chegar a acordo. Felizmente já passou e estou feliz. Foi uma mudança importante para mim. Chegar em janeiro não é o mesmo que chegar no verão, onde tens a pré-temporada para trabalhar. Não estou a reclamar, mas é alto a ter em conta. É difícil, ainda mais nesta Liga", afirmou em entrevista à ´radio "COPE".

O futebolista argentino não sente pressão pelos montantes envolvidos no negócio [25 milhões de euros], afirmando que foram os "encarnados" que definiram o valor a exigir.

"Não. Não fui eu que defini o preço, foi o presidente do Benfica e o Valência sabia-o desde o início. Eu demorei pouco a falar com o Valência: uns dois dias. Houve uma proposta, eu fiz outra e chegámos a um acordo. Estou tranquilo, sei o que posso dar ao clube".

Enzo Pérez não está preocupado com a posição onde Nuno Espírito Santo o irá colocar a jogar, realçando que joga onde o técnico português assim o entender.

"O treinador conhece-me bem do futebol português e sabe em que posição posso render mais. É verdade que o que me levou ao Mundial e ao Valência foi o tempo que joguei médio centro no Benfica. Mas não sou ninguém para dizer onde jogar. O treinador é que tem a palavra", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.