O nome de pode não fazer soar nenhuma campainha na sua cabeça, mas este holandês de 33 anos já deu muito que falar no futebol europeu.

Em 2007 ajudou a Holanda a conquistar o título de campeã da Europa de Sub-21, tendo sido eleito o melhor jogador da competição. As suas exibições na seleção e no Feyenoord levaram-no até ao Real Madrid onde em três épocas realizou 64 partidas, tendo conquistado uma liga espanhola e uma supertaça de Espanha.

Contudo, Drenthe nunca se afirmou verdadeiramente nos 'blancos' e acabou por rumar por empréstimo ao Everton, antes de sair definitivamente para os russos do Spartak Vladikavkaz, que deu início a uma série de viagens entre clubes que durou até 2016.

Nesse ano, o holandês decidiu deixar o futebol de lado e envergar por uma carreira na música, com a banda Roya2Faces, mas a nova carreira não parece ter tido o resultado desejado.

De acordo com o Daily Mail, o jogador, agora com 33 anos, viu-lhe ser declarada bancarrota por um tribunal holandês, depois de perder uma fortuna avaliada em 3,2 milhões de libras - mais de 3,5 milhões de euros.

Em declarações ao portal 'voetbalzone' citadas pelo jornal britânico, Drenthe afirmou que pensa que não se trata de uma decisão final.

"Não sei o que está a acontecer, mas se for o que estou a pensar, não é nada de importante. Estou sempre debaixo dos holofotes, mas vai ser resolvido como deve de ser", disse.

Em 2018,  Royston Drenthe regressou ao futebol, para jogar no Sparta de Roterdão, onde realizou 32 jogos e cinco golos. Atualmente milita no Kozakken Boys, da 3.ª divisão holandesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.