Fábio Coentrão foi ouvido esta segunda-feira no Tribunal de Instrução de Pozuelo, no âmbito da alegada fraude fiscal de que é acusado em Espanha. Segundo noticia o jornal espanhol 'El Confidential', o internacional português não fez qualquer referência ao empresário Jorge Mendes, ao contrário do que havia feito Radamel Falcao.

Segundo a mesma fonte, o jogador admitiu ter assinado “um contrato em que simulava a cessão dos seus direitos de imagem à sociedade Rodinn Company INC, cujo domicilio se encontra na cidade de Panamá”, que, por sua vez, cedeu esses direitos à “sociedade irlandesa Multisports & Image Management Limited”.

No entanto, Coentrão terá dito que não se lembra de quem o aconselhou a utilizar essas estruturas para receber rendimentos proveniente de direitos de imagem.

O lateral, recorde-se, é acusado de defraudar o fisco espanhol em cerca de 1,3 milhões entre 2012 e 2014.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.