O antigo futebolista português Paulo Futre afirmou hoje que a primeira coisa que lhe disseram quando chegou ao Atlético de Madrid foi que «era preciso ganhar sempre ao [Real] Madrid, fosse de que maneira fosse».

Na apresentação da corrida dos adeptos, que pretende juntar simpatizantes dos dois principais clubes da capital espanhola, Paulo Futre reconheceu que atualmente os “derbies” entre Atlético e Real não têm a rivalidade de outros tempos.

«Hoje não existem duelos como os que eu tinha com Paco Buyo [guarda-redes do Real Madrid]. Antes dos ‘derbies’ punha uma foto dele na casa de banho e deitava-me e acordava com ele», disse, confessando: «Paco e eu não nos falávamos, nem dentro nem fora do campo. Só fizemos as ‘pazes’ há três anos, durante o Euro2008».

Ao lado de Paulo Futre na apresentação da corrida, que deverá juntar mais de 8.000 adeptos, esteve o antigo avançado Pedja Mijatiovic, que representou o Real Madrid entre 1996 e 1999.

A corrida dos adeptos, agendada para 13 de novembro, vai ligar os estádios Santiago Bernabéu e Vicente Calderón numa distância de 10 quilómetros e tem passagem garantida por vários locais emblemáticos de Madrid.

Mijatovic considerou que a iniciativa «é um jogo para os adeptos», enquanto Futre desejou que «o Atlético possa ganhar algo, já que não o tem conseguido nos últimos ‘derbies’».

Paulo Futre transferiu-se do FC Porto para o Atlético de Madrid na época de 1987/88, tendo estado no clube até 1991/92. O “extremo” voltou ao Vicente Calderon na temporada 1997/98 ainda como jogador, desempenhando depois funções de dirigente.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.