Javier Tebas, presidente da La Liga, abordou o impacto que a saída de Messi poderia ter tido nas contas da Liga Espanhola. Numa conferência promovida pelo jornal italiano 'Gazzetta dello Sport', o chefe da La Liga referiu que a permanência de Messi foi boa para a competição, mas que uma saída não seria trágica.

"Foi bom que Messi tenha ficado no Barcelona, porque o seu valor é enorme, mas já nos preparamos há anos para que as saídas de jogadores importantes não fossem um trauma", disse, antes de acrescentar que ninguém quis deixar de pagar direitos quando os rumores davam conta da saída do argentino.

"Já tínhamos vendido os direitos televisivos da La Liga para os próximos quatro anos, por isso não mudava muito (se Messi saísse). Nenhum país nos ligou a dizer que queria deixar de pagar direitos. Temos consolidado um conceito, uma competitividade que se mantêm", afirmou.

Tabas abordou ainda os casos das saídas de Ronaldo e Neymar para outras ligas, afirmando que as mesmas não cresceram pela chegadas dos dois craques. Ainda assim, o presidente da La Liga admite que se a saída de Messi e Ronaldo tivesse acontecido ao mesmo tempo seria preocupante.

"O comboio da La Liga segue. Cristiano foi-se embora e continuámos a vender direitos. Neymar foi-se embora e o mesmo aconteceu. A Ligue 1 não alcançou a Premier League por ter Neymar, nem tão pouco o fez a Serie A com Ronaldo.  Não existe um jogador que transforme um campeonato. Se Messi e Ronaldo tivessem ido juntos, isso preocupava-me, mas a saída de um jogador não nos prejudica", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.