O Ministério Público espanhol pretende que o futebolista internacional brasileiro Neymar seja ouvido na qualidade de arguido no processo que o opõe ao fundo de investimento DIS, que detinha parte dos direitos federativos do avançado do FC Barcelona.

Além de Neymar, o Ministério Público pediu ao juiz titular do processo que respondam pelos mesmos crimes de corrupção e fraude o pai do jogador, Neymar Da Silva, o atual presidente do FC Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e o seu antecessor, Sandro Rosell, entre outros.

A justiça espanhola aceitou investigar a queixa apresentada pelo fundo de investimento, que detinha parte dos direitos federativos de Neymar e que se considera lesado no processo de transferência de Neymar do Santos para Barcelona.

O DIS acusa os intervenientes no processo de fraude e corrupção, sustentando que lhe corresponde o equivalente a 40% dos 17,1 milhões de euros (ME) que o FC Barcelona pagou pelos direitos federativos de Neymar, valor que considera estar abaixo do custo real da transação.

O FC Barcelona anunciou que a transferência do avançado brasileiro, em maio de 2013, custou 57,1 ME ao campeão espanhol e europeu, mas depois de uma investigação da justiça espanhola admitiu que a operação ascendeu, pelo menos, a 83,3 ME.

O fundo de investimento brasileiro, que recebeu 6,8 ME correspondentes aos 40% que detinha dos direitos federativos de Neymar, argumenta que tem direito a uma parte da diferença entre o valor inicialmente declarado e o valor real que o FC Barcelona assumiu posteriormente.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.