O FC Barcelona, reforçado pelo ‘instinto goleador’ de Lewandowski, vai procurar destronar o rival e campeão em título Real Madrid, com o Atlético de Madrid à ‘espreita’ de deslizes dos dois principais candidatos na Liga espanhola de futebol.

Sem vencerem o troféu há três anos, algo que não sucedia há duas décadas, os catalães, campeões pela última vez em 2018/19 e ‘vices’ na edição transata, a 13 pontos dos madridistas, apostaram forte no ‘mercado’ e, mesmo com os problemas financeiros que são conhecidos, gastaram mais de 150 milhões de euros (ME) em contratações.

A mais sonante foi, claramente, a do polaco Robert Lewandowski (45 ME), de 33 anos, o melhor jogador do mundo para a FIFA nos dois últimos anos e que, entre 2014 e este ano, contribuiu sobremaneira para a hegemonia do Bayern Munique na Alemanha, assinando 344 golos em 375 partidas pelos bávaros.

Novamente sob o comando do antigo jogador e ‘capitão’ do clube Xavi Hernández, o ‘Barça’ resgatou ainda o francês Jules Koundé (ex-Sevilha), o extremo brasileiro Raphinha (ex-Leeds), o dinamarquês Andreas Christensen (ex-Chelsea) e o costa-marfinense Franck Kessié (ex-AC Milan).

Xavi terá, assim, à disposição um verdadeiro ‘arsenal’ ofensivo para atacar a La Liga 2022/23, tendo em conta que Aubameyang, Depay e Dembélé se mantêm no plantel – embora o neerlandês ainda possa sair -, além dos jovens médios ‘criativos’ Gavi e Pedri.

Contudo, as pretensões do FC Barcelona poderão esbarrar na estabilidade do grande rival, Real Madrid, vencedor de duas das três edições anteriores (2019/20 e 2021/22), campeão europeu em título e que na quarta-feira conquistou a Supertaça Europeia.

Embora tenham voltado a ‘falhar’ o principal objetivo no ‘mercado’, o francês Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain, os ‘merengues’ não só mantêm o treinador Carlo Ancelotti, como continuam a contar com a experiência de Courtois, Carvajal, Casemiro, Kroos, Modric e do goleador Benzema, além dos ‘irreverentes’ Vinícius Júnior e Rodrygo.

Além disso acrescentaram Rudiger (ex-Chelsea) e Tchouaméni (ex-Mónaco) ao plantel desta temporada, do qual saíram nomes consagrados, como Isco, Bale e Marcelo, que terminaram contrato, sendo que o lateral brasileiro viu chegar ao fim uma ligação de 16 anos ao conjunto ‘blanco’.

Na ‘corrida’ ao título, o Atlético de Madrid, campeão em 2020/21, surge num patamar abaixo dos dois ‘grandes’ espanhóis, tendo perdido o goleador uruguaio Luis Suárez e o médio mexicano Herrera, mas manteve o francês Griezmann, contratou o belga Axel Witsel e viu regressar Álvaro Morata, que tinha estado cedido à Juventus.

A preparar-se para cumprir a quarta temporada nos ‘colchoneros’, o internacional português João Félix provavelmente terá, em 2022/23, a derradeira ocasião para se assumir, finalmente, como principal figura da formação liderada por Diego Simeone, depois da muita irregularidade que tem revelado desde que foi contratado ao Benfica, em 2019.

Já o Sevilha, quarto colocado em 2021/22, volta a ter condições para incomodar este trio, tendo em conta que o técnico Julen Lopetegui acrescentou alguns nomes de relevo à equipa, desde logo o médio Isco e o ex-lateral do FC Porto Alex Telles.

O rival Bétis, com os portugueses Rui Silva e William Carvalho, e o Villarreal, semifinalista da Liga dos Campeões da época passada, terão na ‘mira’ uma qualificação para as competições europeias da próxima época, o mesmo sucedendo com Real Sociedad e Athletic Bilbau.

Por outro lado, resta saber se o Valência, agora treinado pelo italiano Gennaro Gattuso, terá condições de acompanhar estas equipas, uma vez que perdeu a principal referência, o português Gonçalo Guedes, que rumou ao Wolverhampton, num plantel no qual se mantém o lateral luso Thierry Correia e conta agora com o ex-gilista Samuel Lino, cedido pelo Atlético de Madrid.

Mesmo assim, a competição continua a dispor de jogadores portugueses – mas sem qualquer treinador -, numa influência reforçada pela chegada de Gonçalo Paciência (Celta de Vigo), enquanto Domingos Duarte trocou o despromovido Granada pelo Getafe e Bebé mantém-se no Rayo Vallecano.

O Almería, que venceu a II Liga espanhola, apresenta-se com os lusos Guilherme Guedes, Samuel Costa e Dyego Sousa, regressando ao escalão principal sete anos depois, sendo acompanhado na subida por Girona e Valladolid.

A edição 2022/23 da Liga espanhola arranca na sexta-feira, com a visita do Sevilha a Pamplona, para defrontar o Osasuna.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.