Continua a ´guerra` entre a Liga Espanhola e o Paris Saint-Germain. O organismo que rege o futebol espanhol foi muito crítico contra o emblema francês por causa da transferência de Neymar do Barcelona para o PSG e parece não ficar por aqui na sua luta contra o riquíssimo emblema parisiense.

Escreve o jornal francês ´L´Equipe` esta segunda-feira, citado pela ´Marca`, que a Liga Espanhola pretende excluir o PSG da Liga dos Campeões, depois de uma queixa apresentada em agosto de 2017 por Javier Tebas, presidente de La Liga, junto da UEFA. Além da queixa, Tebas apresentou um estudo onde pretende demonstrar que o clube parisiense é financiado artificialmente pelo Estado do Qatar.

"Vimos que nos últimos cinco anos o PSG e o Manchester City foram os clubes que mais investiram. Como a sua receita real não lhes permite fazer esses investimentos, inventaram patrocinadores fictícios, vinculados aos Estados, com valores que não correspondem ao preço do mercado. Comparamos as receitas do PSG e Manchester City com as do Real Madrid, Barcelona, Manchester United e Bayern Munique e chegamos a conclusão que são superiores. No PSG as receitas estão relacionadas direta ou indiretamente com o Estado do Qatar e são superiores as do Manchester United. O PSG faz batota economicamente", acusou Tebas, em entrevista ao ´L´Equipe`.

Do fair-play financeiro ao doping financeiro. Como o PSG contorna as regras da UEFA
Do fair-play financeiro ao doping financeiro. Como o PSG contorna as regras da UEFA
Ver artigo

No trabalho do ´L´Equipe`, é publicado, de forma detalhada, todos os patrocínios do PSG, de várias empresas que são propriedades do Estado do Qatar. O montante arrecadado [foi de 344 milhões de euros em 2014] supera o de muitos colossos europeus, como o Manchester United (237 milhões), Real Madrid (224 milhões) e Barcelona (185 milhões de euros).

Já no que toca a direitos televisivos, o PSG tem menos receitas que o Real Madrid (142 dos merengues contra 47 dos franceses) e nos ´dias de jogo` recebe também menos (o Real recebe 121 milhões, o PSG 47).

A Liga Espanhola explica ainda que 73 por cento das receitas de patrocínio do PSG são provenientes do Estado do Qatar. Por isso o organismo que rege o futebol espanhol quer que a UEFA inicie ações contra o PSG por ´doping financeiro`. Além disso, Tebas não descarta levar o caso à União Europeia.

O mercado de transferências está uma loucura e a UEFA quer acabar com isso
O mercado de transferências está uma loucura e a UEFA quer acabar com isso
Ver artigo

"Vamos esperar até ao final do ano para ver o que faz a UEFA. Se nada fizer, vamos apresentar uma queixa na União Europeia porque este sistema não pode continuar. O PSG está na Champions este ano. Não deviam estar a competir. Se, durante a época, descobrirmos que fizeram fraude, porque não afasta-los? Quando um ciclista é apanhado com doping, é imediatamente afastado da prova em que está. Acreditamos que devia haver controles antes do início das competições [da UEFA] e não depois. Porque se for depois, o dano já está feito", declarou Tebas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.