Lionel Messi vai mesmo alinhar pelo FC Barcelona no particular com uma selecção de estrelas da Liga sul-coreana, em Seul, depois de a organização ter ameaçado penalizar monetariamente os catalães se o internacional argentino falhasse o jogo.

A polémica instalou-se depois de o treinador Pep Guardiola ter dito, já na capital sul-coreana, que Messi estava sem condições de alinhar por ter feito apenas um treino e correr o risco de se lesionar.

A organização - Sports and Story - invocou uma cláusula do contrato de dois milhões de euros destinados ao FC Barcelona, a qual estabelecia que Messi teria de jogar pelo menos 30 minutos, caso contrário o clube sofreria uma penalização de 10 por cento (200 mil euros).

As declarações de Guardiola motivaram uma reunião de emergência entre a organização e responsáveis do clube espanhol, acabando as partes por confirmar a presença do internacional argentino no jogo, embora por um período que poderá ser inferior à meia hora prevista contratualmente.

A organização anunciou também que vai devolver 10 por cento do valor dos bilhetes para o jogo – integrado nas comemorações dos 60 anos das relações Espanha/Coreia do Sul – devido à ausência de Xavi, Puyol e Iniesta, jogadores que continuam em férias depois de se terem sagrado campeões do Mundo pela Espanha na África do Sul.

A imprensa sul-coreana criticou a organização por ter despendido 2,3 milhões de euros na organização do jogo.

O Barcelona levou para a digressão asiática – que inclui ainda um jogo na China – 11 jogadores da equipa principal e 17 da filial.

São esperadas mais de 66 mil pessoas no World Cup Stadium para assistir ao encontro e por toda a cidade são visíveis imagens dos jogadores Messi, Xavi e Iniesta em acções de promoção do jogo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.