José Mourinho refutou hoje a ideia de que a vitória do Real Madrid sobre o FC Barcelona na final da Taça do Rei em futebol signifique o fim da hegemonia catalã e foi cáustico para a imprensa madrilena.

«Não acabámos com a hegemonia de ninguém. É uma grande equipa, fantástica, que já ganhou muito e que vai ganhar mais, mas não é campeã da Europa, nem do mundo, mas apenas campeã de Espanha, estando muito perto de voltar a sê-lo», disse o treinador português, na conferência de imprensa do lançamento do encontro de sábado, com o Valência, da 33.ª jornada da Liga espanhola.

José Mourinho considerou que «não é por perder uma final que o FC Barcelona passou a ser uma má equipa» e lançou uma primeira “bicada” na imprensa de Madrid, que é «fantástica a tentar destruir pessoas e equipas e fantástica para elogiar logo a seguir».

O treinador do Real Madrid faz mesmo uma comparação entre si e a imprensa da capital:

«Sou o contrário, sou equilibrado nos momentos negativos e nos momentos positivos, sabendo a qualidade que tenho e a necessidade de manter a tranquilidade e seguir em frente.»

«A mim não me matam porque eu sou todo equilíbrio e quero que a minha equipa seja assim. Ganhámos uma Taça histórica e belíssima, contra um adversário que lhe dá mais valor», disse Mourinho, preocupado com o «momento delicado» em que vai defrontar o Valência, depois do «desgaste e das baixas» subsequentes ao embate com o FC Barcelona.

Prevê um jogo «complicado», face a um adversário que se apresta a «ganhar o campeonato» que se joga fora de Madrid e Barcelona, «bem trabalhada, organizada e com jogadores de qualidade», ainda por cima «muito forte a jogar em casa e sabendo das debilidades do Real Madrid por causa das lesões (Di Maria, Khedira e Adebayor não defrontam o Valência) e do cansaço».

Voltou a "virar a agulha" para a imprensa desportiva da capital espanhola:

«Quero continuar a trabalhar com a tranquilidade que muitos de vós não gostam que eu tenha. Preferem o estrondo da grande vitória e dos momentos negativos.»

«Eu sou equilibrado. Faço o meu trabalho e na próxima época estarei aqui para trabalhar e tentar melhorar sempre. Normalmente, as minhas equipas são melhores na segunda época e por isso quero estar aqui com a convicção de que vamos ser os melhores», rematou o treinador português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.