A oposição ao presidente do FC Barcelona, Josep Maria Bartomeu, reuniu as assinaturas necessárias para apresentar uma moção de censura à gestão do clube, anunciou hoje o empresário Jordi Farré, pré-candidato às eleições agendadas para 2021.

A contestação a Bartomeu aumentou em agosto, depois da derrota por 8-2 frente ao Bayern Munique, nos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol, num jogo disputado em Lisboa, e agudizou-se, pouco depois, com a ameaça de saída do futebolista argentino Lionel Messi, que não chegou a concretizar-se.

A proposta de moção de censura, concretizada por Jordi Farré, foi apresentada dias depois de o avançado internacional argentino, vencedor por seis vezes da Bola de Ouro, ter anunciado a intenção de rescindir o contrato unilateralmente com o clube catalão.

“Objetivo alcançado! Obrigado a todas os que tornaram isto possível”, escreveu Farré, no Twitter, depois de terem sido obtidas 20.731 assinaturas a favor da moção, que necessitava de 16.521 para ser admitida.

A moção, a terceira da história do FC Barcelona, já mereceu o apoio dos outros pré-candidatos às eleições de 2021 - Víctor Font e Lluís Fernández Alà – e de vários grupos de adeptos do clube.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.