Uma década sempre a ganhar. José Mourinho fez hoje uma retrospectiva dos 10 anos que comemora este mês como treinador principal e não escondeu o orgulho por tudo o que já alcançou, num percurso que começou no Benfica, em 2000.

"No Benfica estive pouco tempo, com uma mudança de presidente e um período eleitoral, mas a minha recordação principal é de que é um clube gigante e que me deu uma oportunidade quando ainda nunca tinha sido treinador principal. A minha última partida foi um Benfica-Sporting e ganhámos 3-0", frisou 'El Especial'.

O seu percurso em Portugal completou-se ainda com a União de Leiria e o FC Porto, até deixar o país em 2004. "A União de Leiria é um clube pequeno, mas fomos quartos e foi fantástico. O FC Porto foi incrível. Fizemos 2 tripletes em dois anos. Liga, Taça e Taça UEFA no primeiro e Liga, Champions e Supertaça no segundo. Permitiu-me sair de Portugal para a primeira linha europeia".

A primeira aventura no estrangeiro foi ao comando dos ingleses do Chelsea, devolvendo os londrinos aos anos de glória do passado. "Acreditei que o Chelsea era a paixão da minha vida. Tudo me agradava: competição, jogadores, clube, estádio... Ganhar uma Liga depois de 50 anos é algo que fica para sempre", afirma, para logo recordar com saudade o Inter de Milão: "Também acreditei que o Inter seria inesquecível, um clube familiar no qual consegui o verdadeiro triplete: Liga, Champions e Taça."

"O Real Madrid, do ponto de vista do prestígio, é chegar à Lua, mas ainda não consegui nada. Os 10 anos passaram muito rápido e os próximos também passarão. A ilusão é a mesma, e assim suponho que com 70 anos continuarei no banco, como treinador", concluiu José Mourinho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.