O Real Madrid recebeu e venceu esta tarde o Barcelona, por 2-1, em jogo da 26ª jornada da Liga espanhola. No segundo 'El Clásico' no espaço de cinco dias, o de hoje foi disputado à tarde e no Santiago Bernabéu, mas o desfecho foi o mesmo: a vitória madridista e a confirmação da crise nos 'blaugrana'.

José Mourinho apostou na mesma estratégia que tão bem resultou em Camp Nou, mas mudou alguns dos intérpretes, nomeadamente Cristiano Ronaldo, Xabi Alonso, Khedira, Ozil e Higuaín. No entanto, as 'poupanças' merengues chegaram na perfeição para superar um Barcelona 'cinzento' e sem a alegria (e inspiração) de outrora.

Com efeito, o Real Madrid entrou praticamente a vencer na partida, com o golo madrugador de Benzema, aos 6', numa conclusão perfeita a um excelente cruzamento do jovem Morata, uma das surpresas do técnico português no onze inicial. Os catalães, uma vez mais sem o técnico Tito Vilanova no banco, pareciam letárgicos e sem conseguir "entrar" no jogo. Até que surgiu Lionel Messi.

O argentino despertou do ocaso em que estava mergulhado, fugiu bem na área à marcação de Sergio Ramos e rematou rasteiro para o golo do empate, quando estavam decorridos 18 minutos. Foi o 39º golo da 'Pulga' na Liga espanhola e o 18º em 'Clásicos' com o Real, igualando assim o recorde do mítico Alfredo Di Stéfano.

Todavia, o empate poucas mudanças trouxe ao jogo, já que o Real Madrid cedia a posse de bola mas não o controlo de jogo, acabando por criar as melhores ocasiões de perigo na primeira parte em transições rápidas sobre a defesa catalã. 

O segundo tempo continuou na mesma toada, mas com uma alteração de relevo: a entrada em cena de Cristiano Ronaldo. O craque português saltou do banco e ainda atirou uma bola ao poste, na conversão de um livre, mas a festa do Real Madrid só se faria mesmo aos 82 minutos.

O croata Luka Modric apontou um canto e Sergio Ramos saltou mais alto do que toda a gente para fazer de cabeça o 2-1, aos 82 minutos. Os merengues voltavam a dar mais uma machadada no seu rival.

Nos últimos minutos, o Barcelona lançou-se em busca do empate e chegou mesmo a reclamar uma grande penalidade por falta sobre Alexis Sánchez, mas o árbitro Perez Lasa nada assinalou, dando por terminado o jogo pouco depois. A revolta catalã não acabou com o apito final e o guardião Victor Valdés seria mesmo expulso por protestos já depois do fim do jogo.

Apesar da liderança folgada, com 13 pontos de avanço sobre o Real Madrid, é o Barcelona quem parece agora mergulhado numa inesperada crise e a escassos dias do jogo decisivo com o AC Milan na Champions. Já o Real Madrid ganhou fôlego com os dois triunfos seguidos sobre o rival e chega agora com a confiança em alta para o duelo de terça-feira com o Manchester United, em Old Trafford.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.