Joan Laporta, presidente do Barcelona, explicou est sexta-feira em conferência de imprensa as razões para a saída de Messi.

"Não conseguimos segurar Messi devido à situação económica e devido às limitações os salário", começou por elucidar.

Quando percebeu que Messi não ia ficar no Barça?

"Foi há dois dias que me apercebi que a situação era irreversível e ontem tivemos a última conversação com o pai de Messi e as negociações foram muito duras nos últimos dois meses."

Porque é que não se conseguiu chegar a acordo?

"Pensávamos que íamos ter mais flexibilidade, mas não conseguimos ir mais longe devido ao fair-play financeiro. A minha decisão foi de que não podíamos colocar o clube em risco. Mesmo sem ele, estamos no nosso limite (em termos de massa salarial.)

Herança económica do Barcelona

"(...) Recebemos uma má herança, a massa salarial desportiva representa 110% das receitas do clube. Não temos margem salarial. Face às normas que regem a La Liga e não temos margem. Sabíamos disto deste que chegámos ao clube. Os números que tínhamos depois das primeiras previsões da auditoria são muito piores do que alguma vez prevemos (...).

Herança de Messi 

"O Leo deixa um excelente legado. Foi o jogador com mais êxitos na história do clube, deixou-nos uma história grandiosa. A melhor até hoje. Espero que a possamos superar e agora começa uma nova era. Há um antes e depois de Leo. Messi foi uma referência e deixou muitas imagens para a história. Teremos sempre para uma enorme gratidão eterna."

Todos os jogadores esperavam que Messi que regressasse 

"Tive uma conversa com os capitães e foi muito importante. Todos estavam à espera que o Messi voltasse, mas isso não vai acontecer. Mas vamos começar uma nova era e temos que provar que conseguimos ganhar sem o talento de Messi, que é o melhor do mundo. Fizemos decisões, tentámos fazê-las de forma lógica. Vi as caras dos capitães, o capitães têm que liderar pelo exemplo e serem capazes de liderar nesta nova era. Tivemos que explicar aos novos jogadores que o Barcelona é um clube com 122 anos e que têm que ser protagonistas e esperemos que sejam bem sucedidos."

Fair-play e limitações do clube

"O fair-play financeiro da La Liga é diferente e o critério do 'cash' não se aplica. Para ter este fair-play o Barça teria de se mostrar favorável a uma hipoteca dos direitos televisivos do clube por meio século. Não estou disposto a hipotecar os direitos do clube por ninguém. Temos uma instituição que está acima de tudo, até do melhor jogador do mundo, mas a quem vamos estar sempre eternamente agradecidos."

Messi recebeu outras propostas

"O Leo queria ficar connosco e nós queríamos que ele ficasse. A vontade do jogador era determinante. Quero agradecer às partes que negociaram, que tentaram compatibilizar as diferentes vontades. O melhor jogador do Mundo tinha outras propostas e chegou o momento de nos levantarmos, deixando as emoções de lado, com a frieza dos números. Dentro da LaLiga temos de aceitar esta norma, pese embora considerarmos que devia ser mais flexível. O Leo merece tudo, é um homem que demonstrou a sua estima pelo Barça e a sua vontade de ficar. Estou triste, mas estou convencido que fiz o melhor pelo Barcelona."

Lionel Messi vai deixar o Barcelona depois de mais de 20 anos, com 672 golos, 778 jogos e 34 títulos na equipa principal, confirmando-se o anúncio oficial do clube de que não vai continuar.

Com esta separação, Lionel Messi, seis vezes vencedor da Bola de Ouro, pode mudar pela primeira vez de clube, aos 34 anos, e depois de 672 golos, 778 jogos e 34 títulos na equipa principal dos catalães.

Em 14 de julho, a imprensa espanhola tinha revelado que o internacional ‘alviceleste’, que ficou livre em 01 de julho, iria prolongar a ligação ao clube ‘culé’ até ao final da época 2025/26, uma renovação que acabou por não acontecer, uma vez que a La Liga não deu o aval.

Messi, que chegou ao 'Barça' quando tinha 13 anos, estreou-se pela equipa principal em 2004/05 e, em 17 épocas, arrebatou 34 títulos, entre os quais 10 ligas espanholas e quatro ligas dos campeões, além de ter sido eleito por seis vezes ‘Bola de Ouro’ (melhor jogador do mundo) e ter conquistado por seis vezes a ‘Bota de Ouro’ (melhor marcador dos campeonatos europeus).

Antes do arranque da temporada passada, Messi enviou um ‘burofax’ ao FC Barcelona, manifestando a sua intenção de deixar o clube, mas, depois, acabou por recuar e cumpriu o último ano de contrato com o FC Barcelona, deixando claro que jamais entraria numa guerra na justiça com o seu clube de sempre.

Entretanto, o anterior presidente Josep Maria Bartomeu saiu do clube, voltando Joan Laporta, ao ganhar as eleições realizadas em 07 de março de 2021, sendo que um dos seus principais desafios era garantir a manutenção do futebolista argentino.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.