José Mourinho considera Cristiano Ronaldo um futebolista «absolutamente incrível» e afirma que, sendo «um ala», o valor dos seus golos «não é comparável» com os dos marcados pelos pontas de lança.

Numa entrevista à agência Lusa, o treinador do Real Madrid disse que a forma como o número sete dos “merengues” é visto pela opinião pública faz-lhe lembrar «alguém que em vez de ser jogador é treinador, mas também tem poucas simpatias à volta dele», numa alusão à sua própria pessoa.

Após Cristiano Ronaldo ter começado a Liga espanhola com três golos na goleada do Real Madrid em Saragoça (6-0) e com outros dois no triunfo de Portugal sobre o Chipre (4-0), José Mourinho considerou que as pessoas deviam lembrar-se de que o português não é um ponta de lança.

«Se quisessem ser honestos com ele, deviam dizer: ‘Não é ponta de lança, não joga na zona central, não joga com total liberdade, como jogam os outros que jogam permanentemente naquelas áreas, que são fundamentalmente as zonas de finalização. É um ala!’», sublinhou.

De acordo com o treinador, Cristiano Ronaldo «é um ala que foi trabalhado dentro de um contexto de equipa para poder chegar a determinadas zonas, que são as zonas que lhe permitem fazer golos».

Por isso defende que «o valor que têm os golos marcados por ele não é comparável ao valor que têm os golos marcados por pontas de lança, por jogadores que jogam fundamentalmente na zona central», sendo essa a razão pela qual o considera «um jogador absolutamente incrível».

«Vai bater recorde? Não vai? Para ele não é o mais importante. Ele já o disse: o mais importante é ganhar títulos e, por isso mesmo, no ano passado o golo que teve mais significado para ele foi o golo que nos deu a vitória na Taça do Rei», recordou.

Segundo Mourinho, a Ronaldo basta que a temporada corra normalmente «para ir para números de algumas dezenas de golos», mas isso não significa que a equipa do Real Madrid esteja construída à sua volta

«A equipa está construída em torno de um modelo, onde o Ronaldo, pelas suas características, é importante, é indiscutível e é um jogador que eu considero difícil de gerir durante o campeonato, porque quando queres fazer a gestão de um jogador deste tipo já sabes que a sua saída implica a entrada de outro jogador, que não é igual», referiu.

Mourinho admite que «a equipa perderá sempre» num caso desses, apesar de o substituto de Ronaldo poder ser «trabalhado da mesma forma» e poder fazer-se a tentativa de o «dinamizar no contexto da equipa da mesma forma».

«Acontece com o Ronaldo aqui, acontecerá com o Rooney no Manchester e acontecerá com o Hulk no FC Porto e com não sei quem não sei onde. São coisas absolutamente normais», sustentou.

Apesar disso, Mourinho pensa que no caso de Ronaldo não poder jogar, «como no ano passado não pôde jogar três ou quatro jogos por lesão», o Real Madrid tem «jogadores com qualidade» e «continuará sempre a ter condições para ganhar, seja contra quem for e seja em que competição for».

«Agora, obviamente, Ronaldo é Ronaldo, o seu rendimento fala por si, os números não deixam mentir, e pois... Que não se lesione e que nós tenhamos essa sorte», rematou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.