Santiago Cañizares mostrou-se bastante crítico com a saída do treinador Marcelino Garcia Toral do comando técnico do Valência. O técnico foi despedido pela direção liderada pelo empresário Peter Lim, com o emblema 'Che' a escolher Albert Celades para treinador. A decisão mereceu reprovação por parte dos jogadores do clube como Garay e Dani Parejo mas também de Santiago Cañizares, antigo guarda-redes do Valência.

"Celades é um rapaz que se formou nas seleções de formação e não tinha qualquer opção de assinar por um clube da primeira divisão. E quando precisas de um contrato e te chega a possibilidade de treinar o Valência, perde-se o conceito de honra e ética", disse o antigo guarda-redes, em declarações à Rádio Marca.

Cañizares acrescentou que "Celades não sabe onde se foi meter nem como está o balneário", pelo que terá "um trabalho muito complicado". O ex-guardião espanhol criticou depois as decisões que Peter Lim tem tomado no Valência, explicando que teme pelo futuro do clube.

"Não há uma explicação lógica desportiva mas tendo em conta os implicados, tudo pode acontecer porque já vivemos esta situação [no Valência]. Parece mais um capricho do futebol moderno. Os proprietários fazem o que querem", atirou, em jeito de crítica a Peter Lim, agora à rádio Cadena Cope.

O 'timing', diz Cañizares, foi completamente ao lado.

"Todos esperávamos que, caso as coisas não estivessem bem, que Marcelino Toral poderia ser despedido mas nunca pensávamos que isso iria acontecer esta semana. A impressão é que a direção tomou a decisão porque lhe apeteceu, assim como faz com todas as decisões a respeito da equipa. A sorte é que ultimamente não tomou muitas decisões. Já tínhamos visto isto, quando decidiram demitir um profissional como Mateu Alemany. Todos já sabem como isto pode acabar e estou muito preocupado", explicou.

Logo após o despedimento de Marcelino Toral, o Valência anunciou a chegada do treinador Albert Celades, que assinou até junho de 2021. Celades, antigo jogador do Barcelona e Real Madrid, era adjunto de Julen Lopetegui no Sevilha.

Marcelino García Toral, de 54 anos, cumpria no Valência a terceira temporada, depois de ter sido quarto classificado nas duas últimas épocas, com dois apuramentos para a Liga dos Campeões e a conquista da Taça do Rei em 2018/19.

Esta temporada, o clube segue em 13.º lugar, após três jornadas, com uma vitória (com o Maiorca), um empate (com a Real Sociedad) e uma derrota (com o Celta de Vigo).

O clube, que conta com Gonçalo Guedes desde 2017/18, primeiro por empréstimo do Paris Saint-Germain, e, depois, a título definitivo, contratou esta época o lateral Thierry Correia ao Sporting, por 12 milhões de euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.