Um tribunal de primeira instância de Madrid emitiu hoje uma ordem de penhora no valor de 9,3 milhões de euros contra uma empresa do antigo futebolista Raúl González, após reclamação de uma companhia de energias renováveis.

A decisão judicial é consequência de uma reclamação apresentada pela empresa Aurantia, com quem Raúl González se associou em 2008 para adquirir 20% do capital de uma sociedade chamada de Cadmos Energías Renovables.

A Cadmos, que pretendia construir uma fábrica de painéis solares, em Cádis, solicitou ao banco Credit Suisse um empréstimo de 35 milhões de euros, para um projeto que nunca foi desenvolvido nem pago à entidade bancária.

A Aurantia entrou com uma ação judicial contra a empresa do ex-jogador depois de ter tentado, sem sucesso, um acordo de desvinculação entre as duas empresas, tendo o tribunal condenado a Europa Scar Sport SL, de Raúl González, a pagar quase 7,2 milhões euros.

Os advogados do antigo avançado do Real Madrid apresentaram recurso contra a ordem judicial, uma vez que a empresa Europa Scar Sport SL declarou falência, em junho.

Na sequência do processo, o juiz ordenou o pagamento de 7.174.361 euros, mais 2.152.00 euros em juros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.