O Barcelona conseguiu sair de uma situação financeira difícil; quem o disse foi Eduard Romeu esta quarta-feira na apresentação apresentação do relatório e contas do 'Barça' relativo à última época.

"Permanecemos sob observação, recuperamos e sabemos como sair disso, mas não devemos nos perder", disse o vice-presidente e diretor financeiro do clube catalão.

Para esta temporada, o clube estima um lucro de 11 milhões de euros brutos, números para os quais contribuem, em parte, a redução da massa salarial do plantel após as saídas de Sergio Busquets, Jordi Alba e Ousmane Dembélé.

Romeu disse que o clube está comprometido em reduzir a sua dívida e melhorar o seu capital próprio.

Em setembro, o campeão espanhol sofreu um revés quando o limite de gastos para a temporada foi reduzido para 270 milhões de euros por parte de La Liga.  O limite anterior do Barcelona era de 649 milhões de euros, um valor inflacionado pela venda de receitas futuras de direitos de televisão, uma de várias "alavancas" financeiras que o clube usou.

Assim, a situação atual torna improvável que os 'blaugrana' procurem reforços durante a janela de transferências de inverno, muito pelo contrário.  Os catalães precisam de fazer ainda mais cortes financeiros, isto se quiserem estar em posição de reforçar a equipa no verão.

Curiosamente, a apresentação do relatório surgiu poucas horas após um tribunal espanhol ter formalmente acusado o atual presidente do Barcelona, Joan Laporta, no famoso caso 'Negreira'. As acusações sobre o atual líder dos 'culés' diz respeito ao seu primeiro mandato como presidente do Barcelona entre 2003 e 2010.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.