Zidane era um homem desolado, depois ver o Real Madrid ser goleado em casa pelo Barcelona por 3-0. O resultado deixa os merengues a 14 pontos dos catalães, ou seja, muito longe do título.

"As sensações são muito más. Começámos bem, a primeira parte foi equilibrada, mas é uma derrota que dói. É muito dura, mas o futebol é assim.…", começou por dizer o francês na sala de imprensa.

"Cometemos um erro no primeiro golo, defendemos mal. A este nível os detalhes são fundamentais, mas não vamos perder a cabeça por causa disso. Não há que mudar nada e não podemos baixar os braços. Isto não está terminado, contrariamente ao que muita gente pensa", comentou Zidane, em declarações reproduzidas pelo Mundo Deportivo.

As decisões táticas de Zidane foram muito criticadas em Madrid. O treinador explicou porquê escolheu Kovacic e deixou Isco no banco.

"Não me arrependo de nada, estou aqui para tomar decisões. Se tivéssemos marcado na primeira parte, o jogo teria sido diferente. Mas o futebol é mesmo assim. Não vou mudar a minha forma de pensar e de trabalhar. Foi uma decisão minha e defendo-a com todas as minhas forças. Claro que estamos chateados pela derrota, mas não muda nada o nosso pensamento e o que vamos fazer", começou por explicar.

"Quem toma as decisões sou eu e decidi que o Kovacic ia jogar e o Isco não. Em função dos acontecimentos da partida não tive hipótese de lançar o Isco. Tinha imaginado fazer duas alterações e não as consegui fazer. Lancei o Nacho por troca com o Benzema e depois Bale e Asensio quando estava com dez", terminou.

Zidane disse ainda que a expulsão de Carvajal no segundo golo do Barcelona mudou "radicalmente o jogo e as coisas tornam-se mais difíceis", para os merengues.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.